Mais unidos?

“Após debate, Marina ligou para Aécio para parabenizá-lo”, diz Feldman

Antes do debate, o coordenador da campanha da ex-senadora, que ficou em terceiro lugar na disputa presidencial, não poupou críticas à Dilma e ao partido da presidente: “O PT está doente, é uma doença social”.

SÃO PAULO – Não foram apenas os tucanos que ficaram satisfeitos com o desempenho de Aécio Neves, presidenciável do PSDB, durante o debate – realizado pelo SBT – com sua adversária Dilma Rousseff, do PT. Marina Silva, candidata à presidência pelo PSB que ficou no terceiro lugar da disputa presidencial, ligou para o tucano logo após o final do programa. No último domingo, a pessebista oficializou apoio à candidatura do ex-governador de Minas Gerais no segundo turno. 

A ex-senadora ligou no celular de Walter Feldman, que foi coordenador de sua campanha, e pediu que ele passasse o telefone para o tucano. “Após debate, Marina ligou para Aécio para parabenizá-lo”, comentou Feldman, acrescentando que a ex-senadora estava feliz com o desempenho do peessedebista. Além disso, ele elogiou a postura da ex-ministra do Meio Ambiente: “Na política, é preciso ser elegante. Marina é”. 

Ao longo do debate, ele enviava mensagens à reportagem do Infomoney nas quais transmitia o clima do programa. “Fervendo”, disse em uma das mensagem. “Tenho dó do Brasil com ela”, completou ao falar sobre a petista. 

PUBLICIDADE

Antes do programa, o coordenador da campanha de Marina não poupou críticas à Dilma e ao partido da presidente: “O PT está doente, é uma doença social”, comentou.

Feldman disse também que o poder intoxica. “É como o vício do crack, o PT está intoxicado pelo poder”, afirmou. Ele citou como exemplo o escândalo da Petrobras, com o desvio de recursos públicos para manter o apoio de siglas da base aliada. “O desejo de poder demonstrado pelo PT, principalmente nesta corrida presidencial, pode ser comparado sim ao usuário desta droga”, completou.