Após 12 dias de internação, Bolsonaro recebe alta e deixa hospital em São Paulo

No dia 4 de maio, ex-presidente foi diagnosticado com erisipela, um processo infeccioso da pele que pode atingir a gordura do tecido celular; doença é causada por uma bactéria que se propaga pelos vasos linfáticos

Fábio Matos

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu alta médica após 12 dias de internação em São Paulo (SP) (Foto: Reprodução/X)
O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu alta médica após 12 dias de internação em São Paulo (SP) (Foto: Reprodução/X)

Publicidade

Depois de passar 12 dias internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo (SP), o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu alta médica, na manhã desta sexta-feira (17), e já seguiu para Brasília (DF).

No dia 4 de maio, ele foi diagnosticado com erisipela, um processo infeccioso da pele que pode atingir a gordura do tecido celular.

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

Continua depois da publicidade

A doença é causada por uma bactéria que se propaga pelos vasos linfáticos. Pode ocorrer em pessoas de qualquer idade, mas é mais comum nos diabéticos, obesos e portadores de deficiência da circulação das veias dos membros inferiores.

De acordo com Fabio Wajngarten, ex-ministro de Secretaria de Comunicação (Secom) do governo Bolsonaro e advogado do ex-presidente, a expectativa é a de que ele esteja totalmente recuperado em uma semana.

Na quinta-feira (16), o hospital havia divulgado um boletim médico informando que Bolsonaro apresentava um quadro infeccioso “controlado” na perna esquerda e receberia, pela última vez, o tratamento endovenoso por antibióticos.

Continua depois da publicidade

Esta não foi a primeira vez que Bolsonaro sofreu com um quadro de erisipela. Em novembro de 2022, nos últimos meses de seu governo, o então presidente teve a mesma infecção, o que o levou a cancelar vários compromissos.

O médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo, que monitora o quadro de saúde de Bolsonaro desde que o político foi esfaqueado durante a campanha eleitoral de 2018, em Juiz de Fora (MG), está acompanhando o caso e o atendimento, juntamente com o cardiologista Leandro Echenique. Os boletins médicos foram assinados pelo diretor-geral do hospital, Daniel Favarão Del Negro, e pelo diretor clínico, Paulo Marcelo Gehm Hoff.

Durante a internação, Bolsonaro recebeu a visita dos governadores de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), e de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), além do prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB).

Continua depois da publicidade

Solidariedade de voluntários no Rio Grande do Sul

Em um vídeo compartilhado, na quinta-feira, pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), filho do ex-presidente, Bolsonaro apareceu recebendo mensagens de apoio de voluntários que estão atuando em Gravataí, no Rio Grande do Sul – estado devastado pelas enchentes das últimas semanas.

“Fica bem aí, se recupera”, disse um dos voluntários ao ex-presidente, que sorri.

Fábio Matos

Jornalista formado pela Cásper Líbero, é pós-graduado em marketing político e propaganda eleitoral pela USP. Trabalhou no site da ESPN, pelo qual foi à China para cobrir a Olimpíada de Pequim, em 2008. Teve passagens por Metrópoles, O Antagonista, iG e Terra, cobrindo política e economia. Como assessor de imprensa, atuou na Câmara dos Deputados e no Ministério da Cultura. É autor dos livros “Dias: a Vida do Maior Jogador do São Paulo nos Anos 1960” e “20 Jogos Eternos do São Paulo”