Em petrobras

Operação desarticula grupo que furtava gás de subsidiária da Petrobras no RS

Na ação desta manhã os policiais cumpriram 25 mandados judiciais na cidade de Canoas, sendo 12 de prisão temporária e 13 de busca e apreensão; oito pessoas foram presas e quatro seguem foragidas

logo Petrobras
(Reuters)

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul desarticulou na manhã desta segunda-feira, 29, um grupo que furtava e desviava gás de cozinha (GLP) da Liquigás, empresa subsidiária da Petrobras (PETR3;PETR4) localizada em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre. De acordo com as autoridades, a fraude durou cerca de cinco anos. A empresa calcula que eram desviadas 20 toneladas de gás por mês. O prejuízo estimado é de, no mínimo, R$ 1 milhão.

Na ação desta manhã, sob a coordenação da Delegacia de Furtos e Roubos de Cargas, os policiais cumpriram 25 mandados judiciais na cidade de Canoas, sendo 12 de prisão temporária e 13 de busca e apreensão. Oito pessoas foram presas e quatro seguem foragidas.

Segundo o delegado Juliano Ferreira, a investigação começou em 2012, quando a Liquigás verificou que tanto ativos (botijões) como o gás propriamente dito estavam sendo furtados de sua sede, com o conluio e o envolvimento de seus funcionários. "A partir da denúncia se começou um trabalho de investigação. Ao todo, 12 indivíduos restaram identificados", informou. Conforme a Polícia Civil, entre os presos estão empresários do ramo de distribuição de gás, terceirizados e funcionários da Petrobras.

A Liquigás Distribuidora se dedica ao engarrafamento, distribuição e comercialização de Gás Liquefeito de Petróleo, também conhecido como GLP. Está presente em 23 Estados brasileiros, onde atua principalmente no mercado de botijões de 13 kg - os mais usados em residências para o cozimento de alimentos. Fundada em 1953, a Liquigás foi adquirida pela Petrobras Distribuidora em agosto de 2004.

 

Contato