Em petrobras

Falta de notícias sobre alta de preços ofusca venda de ativos da Petrobras

Credit vê venda de ativos como positiva para Petro, mas combustíveis voltam à pauta

Graça Foster Petrobras 2
(Reuters)

SÃO PAULO - A Petrobras (PETR3;PETR4) anunciou desinvestimentos de US$ 2,1 bilhões na última sexta-feira (16), contribuindo para os US$ 2,2 bilhões já anunciados no ano passado e no caminho para a meta de US$ 10 bilhões.

Apesar de ver a venda dos ativos como positiva para as ações da companhia, com a expectativa frustrada de que um aumento do preço de combustível pudesse ocorrer ainda neste final de semana, os papéis podem esboçar uma reação negativa, avaliam os analistas do Credit Suisse, Vinicius Canheu. 

Na última sexta-feira, a petrolífera anunciou que passará para a chinesa Sinochem fatia de 35% do bloco BC-10, na Bacia de Campos, por US$ 1,54 bilhões, disse a empresa nesta sexta-feira, em um anúncio sobre a venda de diversos ativos totalizando US$ 2,1 bilhões, incluindo participações em blocos no Golfo do México, nos EUA.

Enquanto isso, os analistas da Planner Corretora veem as vendas como positivas. "A empresa tem um enorme leque de ativos e no momento precisa muito de recursos para desenvolver o crescimento de sua produção no Brasil, que é seu foco", destaca a corretora.

 

Vale ressaltar que, na semana passada, aumentaram as expectativas de que houvesse um aumento dos preços dos combustíveis pela companhia, o que levaram as ações da petrolífera a acumularem ganhos de mais de 10% no período. Em meio às sinalizações, a Votorantim Corretora alterou a perspectiva de curto prazo dos papéis de negativa para positiva, avaliando que uma possível mudança na postura do governo pode impulsionar os papéis. 

 

Contato