Em petrobras

Petrobras: segmento de Gás & Energia avança 35% na passagem trimestral

Já o setor de E&P (Exploração e Produção) apresentou crescimento de 20,49% no resultado líquido na passagem trimestral

SÃO PAULO - A Petrobras (PETR3, PETR4) divulgou nesta terça-feira (15) o balanço relativo ao período entre janeiro e março de 2012. Na apuração dos resultados por área de negócio, o desempenho pior ficou com o segmento de gás e energia, enquanto E&P (Exploração e Produção) foi destaque ao apresentar crescimento de 20,49% do resultado líquido na passagem trimestral.

O segmento de E&P (Exploração e Produção) teve ganhos líquidos de R$ 12,44 bilhões no primeiro trimestre, o que corresponde a um crescimento de 33,43% frente ao período similar em 2011. A Petrobras destacou esse resultado foi obtido com maiores preços de venda e transferência de petróleo - reflexo do avanço do preço da commodity. Além disso, a redução de despesas com baixa de poços secos também impactou positivamente os números. 

Já a produção nacional no primeiro quarto do ano teve leve alta tanto na comparação trimestral quanto anual. Na passagem trimestral, o avanço foi de de 1% por conta do início de operação nos campos de Marlim Sul, Jubarte e Lula. Em relação ao ano anterior, o crescimento foi de 2% - atingindo o total de 2,43 milhões de boed (barris de óleo equivalente por dia). 

Abastecimento
Na área de abastecimento, o resultado líquido ficou ainda mais negativo no 1T12, atingindo R$ 4,599 bilhões - no mesmo período de 2011, o saldo negativo havia sido de apenas R$ 94 milhões. Nos últimos três meses do ano passado, o resultado foi deficitário em R$ 4,412 bilhões.A piora ocorreu por conta dos custos com aquisição de transferência e petróleo, mas compensada por maiores preços de vendas de derivados, com destaque no reajuste de diesel e gasolina.

Gás & Energia
No segmento de Gás & Energia, houve um avanço de 46% no resultado líquido do período frente aos três meses anteriores, chegando a R$ 707 milhões. Na comparação entre o mesmo período em 2011 e 2012, a companhia registrou alta de 36%.

De acordo com a companhia, esse avanço no lucro líquido ocorreu com o maior volume de geração de energia, além do aumento de preços médios de gás natural e maior volume vendido. A geração de energia para exportação também colaborou, assim como o acréscimo no volume de venda de nitrogenados.

Biocombustível e distribuição
No segmento de biocombustível, o resultado líquido negativo de R$ 40 milhões no quarto trimestre do ano passado foi ampliado para R$ 44 milhões negativos no primeiro trimestre de 2012, principalmente por conta das margens de venda do setor de biodiesel, reflexo dos menores preços praticados em leilão. No 1º trimestre de 2011, esse resultado havia sido negativo em R$ 12 milhões.

Por fim, a área de distribuição fechou o primeiro trimestre de 2012 com um lucro líquido de R$ 364 milhões, queda de 2% na passagem anual, e crescimento de 35% na comparação trimestral. O aumento desse lucro líquido trimestral ocorreu pela redução das despesas com frete e crescimento da margem de comercialização, fatores que, de um ano para o outro, pesaram no resultado deste setor. 

 

Contato