PR Newswire

OFERECIDO POR

LAFIS: Resultado do terceiro trimestre eleva a projeção de crescimento anual do PIB

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

SÃO PAULO, 5 de dezembro de 2019 /PRNewswire/ — Nesta terça-feira (03/12/2019) o IBGE divulgou o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), evidenciando uma aceleração do ritmo de crescimento quando observada a evolução das taxas ao longo do ano: crescimento de 0,6% quando comparado ao resultado do segundo trimestre deste ano, já apuradas as sazonalidades. Em valores correntes, o PIB no terceiro trimestre de 2019 totalizou R$ 1,842 trilhão.

O destaque positivo ficou por conta do PIB Agropecuário que registrou um incremento de 1,3% puxado pelo bom desempenho da produção de algodão e a soja. A pecuária também contribuiu para a alta do PIB agro neste terceiro trimestre com as exportações mais aceleradas em razão da recente epidemia de peste suína na China.

Por sua vez, o PIB industrial avançou 0,8% em relação ao trimestre anterior. O maior destaque se deu pelo expressivo crescimento da indústria Extrativa (+12,0%), influenciada positivamente pelo maior ritmo de produção nas plataformas de petróleo na camada do pré-sal que impulsionou o resultado da indústria extrativa, mais do que compensando a queda da atividade de minério de ferro, que ainda se encontrava em trajetória negativa devido a retração das atividades de mineração após o acidente ambiental em Brumadinho (MG). A construção (+1,3%) também impactou positivamente no resultado.

PUBLICIDADE

Já o setor de serviços, com peso de mais de 75% no PIB total, apresentou expansão de 0,4% neste mesmo período de análise, muito influenciado pelo bom desempenho do comércio (+1,1%), serviços de informação (+1,1%) e intermediação financeira, seguros e previdência complementar (1,2%). A inflação controlada, com juros historicamente baixos (Selic) e redução marginal na taxa de desemprego, são fatores que contribuem para explicar, em parte, a reação do segmento. De fato, a Pesquisa Mensal de Serviços referente ao acumulado do ano até setembro apresentou crescimento de +0,6%, apontando para uma leve aceleração no ritmo de crescimento frente ao resultado observado no acumulado até agosto (0,5%), ambos em comparação com o mesmo período de 2018.

Pela ótica da despesa, a taxa de investimento (formação bruta de capital fixo), que foi puxada pela construção, avançou 2,0%, já o consumo das famílias cresceu 0,8%. Em contraste, o consumo do governo (incluindo pessoal e demais gastos, exceto investimentos) recuou 0,43%, demostrando que os vetores do crescimento do trimestre se fundaram no setor privado, frente a retração do setor público fundada na orientação de contenção dos gastos prevista no plano de ajuste fiscal conduzido pelo Ministério da Economia.

No que se refere ao setor externo, as exportações de bens e serviços retraíram 2,8%, enquanto as importações de bens e serviços cresceram 2,9% em relação ao segundo trimestre de 2019.

Projeção da Lafis: O resultado acabou superando as projeções do mercado e da própria Lafis que apostava em uma alta mais comedida (+0,4% – 0,5%) do que o resultado observado. Deste modo, embora as projeções ainda estejam em fase de revisão pela Lafis, é muito provável que o crescimento projetado para o PIB de 2019 salte do atual patamar de 0,9% para 1,1% – com o resultado consolidado a ser anunciado no próximo dia 6 (sexta-feira) com a divulgado do “Cenário Econômico” edição de dezembro.

Economista Responsável: Felipe Souza.

Economista Chefe. Mestre em Economia pela UNESP Araraquara. Iniciou as atividades na Lafis em 2010, onde é macroeconomista (ênfase em política monetária – inflação e juros), além de ser responsável pelo acompanhamento dos setor de transportes e indústria de base. 

PUBLICIDADE

Mais Informações:

Lafis Consultoria – www.lafis.com.br
atendimento@lafis.com.br
(11) 3257-2952

Foto: https://mma.prnewswire.com/media/1040793/Grafico_Lafis.jpg?p=original

FONTE Lafis