Notícias Corporativas

OFERECIDO POR
Indústrias

Como a tecnologia ajuda a alavancar o setor da construção civil

Novas empresas surgem no mercado com ideias que utilizam da inteligência artificial para ter ganhos de gestão e produtividade

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

A pesquisa Investimentos em Indústria 4.0 da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou que as empresas no Brasil ainda estão no estágio inicial da migração para a digitalização. A modernização, para 90% delas, aposta em tecnologias voltadas aos processos de produção ou gestão e podem ser a porta de saída da estagnação econômica. Os dados colhidos entre 2016 e 2018 compõem uma análise comparativa, que demonstra uma evolução na indústria brasileira para a era digital, ainda que gradativa.

Um setor específico, o da construção civil, vem ensaiando sua retomada após o já longo período de crise, e a expectativa é otimista. Para 2019, um estudo da Associação Brasileiro de Tecnologia para Construção e Mineração aponta que 61% das construtoras e locadoras consultadas estão otimistas com a economia brasileira e 48% têm a mesma opinião quanto ao setor da construção. Para os próximos quatro anos, a produção de materiais de construção deverá ter crescimento anual médio em torno de 5%, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat).

Foi para driblar os momentos de instabilidade e colaborar para o crescimento sustentável dos negócios que nasceu a GescorpGo. Seu fundador, Murilo Lopes, conta que para salvar um projeto da pequena construtora da família criou a plataforma de gestão e automação de tarefas. Ele diz que a agilidade e precisão das informações conferem mais segurança no andamento das obras e ajudam a otimizar o tempo de execução e a gerir melhor a mão de obra empregada.

PUBLICIDADE

Para ele, o uso da tecnologia no escritório e no canteiro é o que vai fazer a diferença para as empresas no setor de construção. “A gestão orientada por dados é o que o mercado está buscando agora. O alto grau de automação e integração é a principal ferramenta para atingir os objetivos neste momento de recuperação”, avalia.

A influência das novas tecnologias no dia a dia do trabalho parece mesmo ser irreversível. E foram a experiência e os erros em campo que motivaram Cauê Marinho a criar a Cloudstock, a plataforma que automatiza o controle de estoques com sistema que utiliza da inteligência artificial. Ao lembrar dos gastos que teve em trabalhos passados ao perder o prazo de entrega de equipamentos alugados, Cauê pensou em quanto prejuízo uma obra pode ter devido à falta de monitoramento assertivo. “A redução de atrasos nas obras é possível com o controle da necessidade mínima de produtos disponíveis para cada etapa. Realizar compras no tempo certo é fundamental para não ter prejuízos. Uma concretagem não pode ficar esperando por falta de cimento”, exemplifica.

Com a solução oferecida pela Cloudstock, a produtividade dos profissionais de almoxarife e gestores administrativos aumenta cerca de 20%. Além disso, ela emite alertas das quantidades de materiais disponíveis e quando o estoque está muito baixo, de devolução de equipamentos e contra furtos. As entradas e saídas de materiais são controladas automaticamente por reconhecimento de imagens e por meio de etiquetas de leitura sem contato, que compõem os dados armazenados em nuvem.

Hub de inovação

Ambas startups participam da segunda edição do OKARA Hub e participam durante nove meses do programa criado pela Engeform, Temon, Grupo GPS e a MPD Engenharia, para desenvolvimento junto ao mercado, principalmente o da construção civil. Elas recebem mentorias, integram rodadas de negócios e têm a chance de desenvolver projetos piloto em grandes empresas, com o objetivo de gerar visibilidade aos seus produtos e serviços.

PUBLICIDADE

Website: http://www.okarahub.com.br