Queda de cabelo no pós-parto/amamentação: o que as mamães precisam saber

Na sua opinião, é normal que as mulheres apresentem queda de cabelo no período de amamentação? Sempre atenta às dúvidas que o público feminino também manifesta em relação à calvície, a Tricosalus Clinics elaborou um artigo inédito esclarecendo a relação entre o pós-parto e a perda acentuada dos fios, um problema que afeta inúmeras mamães e que também pode interessar aos seus parceiros, familiares e amigos. Confira!

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Publicidade

Além da gravidez ser um verdadeiro marco na vida de muitas mulheres, um dos aspectos que ganham destaque nesse período é o quanto a beleza da gestante parece ficar ainda mais realçada. Isto acontece porque as futuras mamães experimentam uma série de transformações no seu corpo, decorrentes das alterações nas taxas hormonais que se “adaptam” à sua nova realidade. Os hormônios estrógeno e progesterona, por exemplo, aumentam durante a gestação, e são eles os maiores responsáveis pelo aspecto mais saudável da sua pele e cabelos. Isto sem contar que, além do aspecto, esses hormônios aumentam a duração da fase anágena (fase de crescimento) dos fios, o que os leva a caírem em menor volume durante a gravidez, proporcionando cabelos mais longos e cheios.

No entanto, o que muitas mulheres não sabem é que, com a chegada do bebê, esse pico de atividades do estrógeno e da progesterona se interrompe, fazendo com que a produção desses hormônios retome as suas taxas normais. O resultado desse processo é que, no pós-parto, os fios de cabelo que não caíram nos últimos meses acabam se desprendendo do couro cabeludo, completando, assim, o seu ciclo de vida.

Nessas circunstâncias, a queda repentina dos fios é chamada clinicamente de eflúvio telógeno, já que a fase telógena é aquela em que o cabelo cai para dar lugar a um novo fio em crescimento. Trata-se de um problema considerado comum, sobretudo quando também ocorre alguma deficiência de vitaminas e minerais, e/ou algum nível de estresse após o procedimento do parto e o início da amamentação.

Continua depois da publicidade

Quais os possíveis tratamentos para a queda de cabelo no pós-parto?

Durante o período de amamentação, ao perceber que o cabelo está caindo em quantidade acima da média, é fundamental que se busque a intervenção de um tricologista ou dermatologista, pois somente o profissional especializado poderá realizar uma avaliação completa e, com base nos exames clínicos, diagnosticar o que realmente está desencadeando a perda dos fios.

Quando não existe predisposição genética para a calvície e nem se constatam problemas como disfunções da tireoide e diabetes, as mamães podem ficar mais tranquilas: a tendência é de que, com o auxílio de um acompanhamento nutricional e dermatológico, os fios sejam repostos naturalmente dentro de poucos meses.

Para tanto, os médicos costumam indicar uma dieta equilibrada, com a ingestão de frutas, legumes, vegetais, cereais integrais e carnes magras. Em alguns casos, para reverter a deficiência de nutrientes indispensáveis à saúde capilar, pode ser necessária a prescrição de suplementos alimentares com vitaminas, minerais e aminoácidos.

É possível prevenir a queda de cabelo no pós-parto?

Para as mulheres que desejam evitar uma queda excessiva de cabelo depois da vinda do bebê, é importante investir no acompanhamento nutricional e dermatológico desde o primeiro mês de gestação. Ao contar com as orientações de um nutricionista para a elaboração de uma dieta saudável, com todas as vitaminas e minerais essenciais ao fortalecimento das madeixas, é possível que a gestante consiga minimizar a perda dos fios de forma considerável.

Vale ressaltar que a correta ingestão diária de água também contribui para manter os cabelos fortes e saudáveis depois da gravidez, já que a água é um componente vital para a estruturação do tecido capilar. Além disso, é crucial manter um ritmo de vida tranquilo nos meses de gestação e no período de amamentação, evitando situações estressantes, tendo em vista que o estresse intensifica a queda de cabelo.

A higienização periódica dos fios e do couro cabeludo com um xampu, condicionador e cremes de tratamento compatíveis com o tipo de cabelo é outro fator que influencia na saúde capilar durante e após a gravidez. Embora tais produtos não consigam agir na causa da queda, eles possuem o poder de conferir mais brilho, elasticidade e hidratação aos fios, deixando-os mais macios e brilhantes.

Por fim, é aconselhável que as gestantes e lactantes consultem um tricologista ou dermatologista que seja especializado em quedas de cabelo durante o pós-parto. Afinal, somente um especialista saberá indicar o melhor tratamento, conforme a causa do problema e as particularidades de cada organismo.
Website: http://www.tricosalus.com.br

Tópicos relacionados