Prever a chuva na fazenda minimiza riscos de perda de safra

Adversidades climáticas afetam diretamente produção agrícola principalmente em países onde as estações do ano são bem definidas e existem zonas de transição climática. Segundo produtores rurais de várias regiões brasileiras, nos últimos 5 anos as anomalias do tempo e clima têm se intensificado alterando a maneira de gerenciar a atividade rural e aumentando riscos eminentes de perdas de produção e consequentemente perda de dinheiro.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores

Publicidade

Adversidades climáticas afetam diretamente produção agrícola principalmente em países onde as estações do ano são bem definidas e existem zonas de transição climática. Segundo produtores rurais de várias regiões brasileiras, nos últimos 5 anos as anomalias do tempo e clima têm se intensificado alterando a maneira de gerenciar a atividade rural e aumentando riscos eminentes de perdas de produção e consequentemente perda de dinheiro.

Mudanças climáticas previstas para as próximas décadas como resultado do aquecimento global vão colocar em risco a produção agrícola no Brasil podendo deslocar áreas tradicionalmente produtivas para regiões com menos risco de anomalias.

Segundo a EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), no Brasil, dentre as adversidades climáticas, a seca é a causa de maior impacto na quebra de safra de grãos.
https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Repositorio/Zoneameno_agricola_000fl7v6vox02wyiv80ispcrruh04mek.pdf.

Continua depois da publicidade

Algumas tecnologias de última geração e criadas no Brasil já avisam o produtor rural quando e quanto vai chover em sua fazenda.
Segundo Rodrigo Mesquita, empresário rural e engenheiro agrônomo formado pela ESALQ, que controla informações de chuvas a mais de 30 anos em sua propriedade, “os dados históricos ajudam os modelos de previsão de chuva a errarem menos, dando mais acertividade ao modelo de previsão local”.

Bruno Biazeto, meteorologista formado na Universidade de São Paulo ressalta que dados estatísticos mostram aumento das anomalias na última década.

É essencial que o produtor rural planeje suas atividades levando em consideração o “mapa de chuvas” em sua fazenda. Só assim ele poderá com mais segurança gerenciar as informações e minimizar os riscos e perdas.

André Galassi, mestre em Biotecnologia, sócio-diretor da Agrinet, reforça que sistemas automáticos de coleta de informações ajudam produtor a relacionar estes dados ao dia a dia da fazenda, correlacionando fatos ocorridos aos esperados. Para isso tecnologias de ponta “desenham” estes mapas de chuvas a curto, médio e longo prazo e ajudando o produtor rural a se prevenir. (CROPNET é tecnologia única que prevê chuvas no local de análise. www.cropnet.com.br / www.cropnet.us)

Texto do departamente de assessoria de imprensa da Agrinet
André Galassi (Sócio-Diretor Agrinet)
contact@cropnet.us
andregalassi1@gmail.com
+ 55 11 94242 1102
+55 34 3216 3282

Tópicos relacionados