Efeito balanço

UBS recomenda compra de ordinárias e preferenciais de Petrobras; veja upsides

O banco avalia que a estatal apresentou melhorias significativas nos últimos 12 meses, com destaque para a venda de US$ 12,8 bilhões em ativos de grande porte e a política de preços de combustível implementada

 SÃO PAULO – A equipe de análise do banco UBS reiterou a recomendação de compra das ações da Petrobras e vê preço-alvo de R$ 21 para as ações preferenciais (PETR4) e de R$ 20,8 para as ações ordinárias (PETR3), o que significam altas de 41,70% (PETR4) e 36% (PETR3).

O banco avalia que a estatal apresentou melhorias significativas nos últimos 12 meses, com destaque para a venda de US$ 12,8 bilhões em ativos de grande porte, a política de preços de combustível implementada, a redução em cerca de 25% de sua alavancagem líquida e geração de caixa, entre outros.

 O UBS avalia que a empresa deve se voltar agora para alguns catalisadores importantes, como a continuação do plano de desinvestimento e geração mais forte de fluxo de caixa livre, além da negociação de transferência de direitos, o que provavelmente irá melhorar a confiança no caso de investimento.

 A Petrobras divulgou seu desempenho no primeiro trimestre deste ano na noite de quinta-feira (11). Pelo oitavo trimestre consecutivo, a estatal entregou fluxo de caixa livre positivo, algo que é fundamental para desalavancagem, atualmente em 4x dívida/ebitda.

 O lucro líquido foi de R$ 4,449 bilhões no primeiro trimestre, em linha com as estimativas do UBS e o ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 25,254 bilhões, devido a menores despesas operacionais e gastos com importações, ficando 17% acima do esperado pelo banco.