Renda fixa

Tesouro Direto: prêmios pagos por títulos públicos aumentam na tarde desta sexta-feira

Atenções recaem sobre declarações de Paulo Guedes, no Brasil; no exterior, investidores acompanham notícias sobre os efeitos da Covid-19 na economia

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O mercado de títulos públicos negociados por meio do Tesouro Direto, programa de compra e venda voltado para pessoas físicas, iniciou os negócios desta sexta-feira sem direção definida, porém firmou um movimento generalizado de aumento dos prêmios à tarde.

Embora seja o Dia da Consciência Negra, não é feriado na capital paulista. Por causa da pandemia do coronavírus, o feriado foi antecipado para o mês de maio. Bancos e comércio funcionam normalmente, assim como a B3.

No Tesouro Direto, entre os papéis com retornos indexados à inflação, que iniciaram o dia em queda, o Tesouro IPCA+ 2035 registrava um aumento do prêmio pago, de 4,14% para 4,22% ao ano, mais a variação da inflação. Ontem à tarde, o papel rendia 4,18% a.a.

Aprenda a investir na bolsa

O Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2055 também apresenta elevação dos prêmios, de 4,26%, no início dos negócios, para 4,34% ao ano, nesta tarde. O papel fechou o último pregão com juro real de 4,29% ao ano.

Já na parcela de papéis prefixados, o Tesouro Prefixado 2023 pagava juro de 5,29% a.a. nesta tarde, ante 5,11% a.a. na tarde de ontem e 5,15% mais cedo. O mesmo título com vencimento em 2026 também registra forte aumento do prêmio, de 7,46%, na abertura dos negócios, para 7,62%. Ontem, o título pagava taxa nominal de 7,45% ao ano aos investidores.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos na tarde desta sexta-feira (20):

Mercado hoje

No mercado acionário brasileiro, o Ibovespa registra queda na tarde desta sexta-feira, pressionado principalmente pelo exterior, após divergências entre o Federal Reserve (o banco central americano) e o Tesouro dos EUA sobre os programas de estímulos à economia do país, além do aumento de casos de coronavírus pelo mundo.

Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos EUA, disse aos parlamentares que eles devem redirecionar US$ 580 bilhões de estímulo não gasto. Ele ainda escreveu uma carta ao presidente do Fed, Jerome Powell, exigindo a devolução do dinheiro que o governo fornece ao banco central para que ele possa emprestar a certos mercados em tempos de estresse.

Em seguida, Mnuchin minimizou a decisão, dizendo que ainda há muito dinheiro disponível para fornecer fundos onde for necessário. “Foi uma coisa muito simples. Estamos seguindo a intenção do Congresso”, disse, à CNBC.

PUBLICIDADE

Nesta manhã o Fed divulgou comunicado instando que “todo o conjunto” de medidas fosse mantido até 2021. Na terça-feira, Powell indicou que não achava apropriado permitir que os programas expirassem.

“O Fed estará fortemente comprometido em usar todas as nossas ferramentas para apoiar a economia pelo tempo que for necessário, até que o trabalho seja bem feito”, disse Powell.

Enquanto isso, o presidente eleito Joe Biden atacou a falta de cooperação do governo Trump na transição presidencial, com prejuízo à capacidade de sua equipe de obter informações atualizadas sobre a pandemia.

Na Europa, economias importantes, como França, Reino Unido e Alemanha, continuam a implementar diferentes níveis de lockdowns, com aumento dos casos. Mesmo assim, o número de infecções continua a aumentar.

Declarações de Guedes no foco

Com uma agenda esvaziada de indicadores no Brasil, as atenções recaem sobre declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, que disse ontem que, após o período eleitoral, pretende voltar a tratar da criação de um imposto sobre transações, nos moldes da extinta CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras). A fala ocorreu em videoconferência promovida pelo banco Bradesco.

Guedes, que rejeita a referência à CPMF, afirmou que o plano inicial prevê a taxação de recursos enviados por meio do Pix, sistema de transferência de pagamentos instantâneos inaugurado nesta semana.

As alíquotas devem ser baixas, em torno de 0,10% e 0,15%. Estudos iniciais do Ministério da Economia falavam em alíquotas em torno de 0,20%.

Guedes ainda afirmou que a reforma tributária poderia ser destravada ainda em 2020 “por um milagre”, e criticou a proposta presente na Câmara. Segundo ele, para manter a arrecadação em patamares adequados, a alíquota sobre consumo deveria ser superior a 30%, o que impactaria o consumo. Por isso, defende a taxa sobre as transações.

PUBLICIDADE

Também em destaque, em meio à crescente desconfiança de investidores em relação ao quadro fiscal brasileiro, Guedes garantiu que fará “o que for necessário” para reduzir a dívida e citou, entre o cardápio de medidas para atingir esse objetivo, a possibilidade de “até vender um pouco de reservas”.

No que diz respeito ao avanço da epidemia de coronavírus no Brasil, o país registrou 35.918 novos casos, alta de 70% em 14 dias, segundo dados do Ministério da Saúde. Até a manhã de sexta-feira, 168.061 pessoas morreram com a doença no país.

O lado desconhecido das opções: treinamento gratuito do InfoMoney ensina a transformar ativo em fonte recorrente de ganhos – assista!