renda fixa

Tesouro Direto: taxas de títulos públicos sobem nesta segunda-feira

Novas previsões do mercado financeiro para a economia e votação do relatório da reforma da Previdência no Senado estão no foco dos investidores

Notas de real (Crédito: Shutterstock)

SÃO PAULO – As taxas dos títulos públicos negociados no Tesouro Direto, programa que possibilita a compra e venda de papéis por investidores pessoas físicas por meio da internet, apresentavam alta na tarde desta segunda-feira (2).

No âmbito doméstico, as atenções se voltaram hoje à divulgação mais recente do Relatório Focus, do Banco Central. A pesquisa semanal com instituições financeiras mostrou que o mercado elevou a previsão para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2019, de 0,80% para 0,87%, mantendo as estimativas para 2020 (em 2,10%) e 2021 (em 2,50%).

A expectativa para a inflação, por sua vez, recuou de 3,65% para 3,59% neste ano, mas também seguiu inalterada para 2020 (3,85%) e 2021 (3,75%). Já as projeções para a taxa básica de juros se mantiveram em 5%, para 2019, em 5,25%, para 2020, e em 7%, para 2021.

PUBLICIDADE

A próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central vai ocorrer nos dias 17 e 18 de setembro, e é esperado novo corte de 0,50 ponto percentual, levando a Selic para 5,5% ao ano.

Ainda no radar dos investidores, o mercado acompanhou a agenda política no Congresso, que terá nesta semana a votação do relatório da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Já na cena externa, o mercado repercutiu dados positivos da China, com o avanço do Índice Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), que mostra o desempenho do setor industrial chinês, de 49,9 para 50,4 pontos em agosto. Vale lembrar que as bolsas americanas estão fechadas por conta do feriado de Dia do Trabalho.

Invista nos títulos do Tesouro Direto a partir de R$ 30: abra uma conta gratuita na Rico

No Tesouro Direto, o papel atrelado ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) com vencimento em 2024 pagava a inflação mais um prêmio anual de 3,03%, ante 3,01% na abertura do dia. O investidor podia adquirir o título integralmente por R$ 2.794,79 ou aplicar uma quantia mínima de R$ 55,89 (recebendo uma rentabilidade proporcional à aplicação).

Os títulos com vencimentos em 2035 e 2045, por sua vez, apresentavam taxa de 3,69% ao ano, ante 3,68% a.a. anteriormente.

PUBLICIDADE

Já o retorno dos papéis prefixados, como o com prazo em 2022, avançava de 6,08% para 6,15% a.a., enquanto o Tesouro Prefixado 2025 pagava uma taxa de 7,14%, ante 7,10% ao ano pela manhã.

<!– TD class="tabelaTitulo" rowspan=2 align=center>Indexador</TD –>

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta segunda-feira (2):
Título
Vencimento
Taxa de Rendimento (a.a.)
Valor Mínimo
Preço Unitário
Indexados ao IPCA 
Tesouro IPCA+ 202415/08/2024IPCA + 3,03%R$ 55,89R$ 2.794,79
Tesouro IPCA+ 203515/05/2035IPCA + 3,69%R$ 36,74R$ 1.837,05
Tesouro IPCA+ 204515/05/2045IPCA + 3,69%R$ 38,39R$ 1.279,94
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 202615/08/2026IPCA + 3,18%R$ 38,02R$ 3.802,33
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 203515/05/2035IPCA + 3,57%R$ 42,20R$ 4.220,89
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 205015/08/2050IPCA + 3,76%R$ 45,50R$ 4.550,88
Prefixados 
Tesouro Prefixado 202201/01/20226,15%R$ 34,81R$ 870,41
Tesouro Prefixado 202501/01/20257,14%R$ 34,65R$ 693,00
Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 202901/01/20297,40%R$ 35,55R$ 1.185,14
Indexados à Taxa Selic 
Tesouro Selic 202501/03/2025Selic + 0,02%R$ 102,87R$ 10.287,02

Fonte: Tesouro Direto

Baixo risco, liquidez e acessibilidade

O Tesouro Direto é considerado a opção de investimento com o menor risco no Brasil e com ampla acessibilidade, dado o investimento mínimo a partir de R$ 30. Outra vantagem do programa diz respeito à liquidez, com a possibilidade de recompra diária dos títulos públicos pelo Tesouro.

O investidor pode aplicar em títulos públicos diretamente pelo site do Tesouro, se cadastrando primeiro no portal e abrindo uma conta em uma corretora, como a Rico Investimentos, por exemplo, para intermediar as transações. Atualmente, a maior parte das instituições financeiras habilitadas a operar no programa não cobra taxa de administração.

O único custo obrigatório que recai sobre o investimento em títulos públicos pelo Tesouro Direto corresponde à taxa de custódia, de 0,25% ao ano sobre o valor dos títulos, cobrada semestralmente no início dos meses de janeiro e de julho.

Saia da poupança e faça seu dinheiro render mais: abra uma conta gratuita na Rico