Polishop enfrenta ação de despejo de fundo de logística XPIN11; Ifix fecha estável

A empresa aluga seis módulos em três galpões do centro de logística GLP; Ifix opera perto da estabilidade

Ana Paula Ribeiro

(Divulgação)

Publicidade

A rede de eletrodomésticos Polishop enfrenta mais um processo de despejo. Dessa vez, referente aos galpões que utiliza no centro de logística GLP Jundiaí, que pertence ao fundo XP Industrial (XPIN11). Sem conseguir receber os aluguéis em atraso, o fundo entrou com uma ação de despejo, que ainda está em andamento, conforme fato relevante.

“Após o esgotamento das tratativas extrajudiciais sem que fosse verificada uma solução efetiva quanto ao inadimplemento, o XPIN contratou um assessor legal a fim de obter, por vias judiciais, a devida quitação pretendida. Nesse contexto, no quarto trimestre de 2023, foram propostas pelo XPIN, de forma apartada e não cumulativa, a ação de despejo por falta de pagamento, bem como a ação de execução por título extrajudicial”, conforme o documento divulgado nesta quinta-feira (8).

A Polimport Comércio e Exportação, razão social da Polishop, aluga seis módulos em três galpões do centro de logística GLP. De acordo com o último relatório gerencial do XPIN11, esses contratos representam 5% da receita do fundo.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

Esse aluguel é equivalente a R$ 0,04 por cota. No entanto, o valor acumulado dos atrasos causa um efeito negativo maior.

“No fechamento do mês de janeiro de 2024, a inadimplência total de aluguéis da Polishop é de aproximadamente R$ 0,30/cota (com a inclusão de eventuais encargos e penalidades aplicáveis)”, explicou o fundo.

A Polishop passa por um processo de reestruturação e desde o ano passado vem fechando lojas, promovendo demissões e enfrenta outras ações judiciais por falta de pagamento de aluguéis.


Continua depois da publicidade

Ifix hoje

Na sessão desta quinta-feira (8), o Ifix – índice dos fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – fechou estável (-0,03%) por volta das 12h30. Confira os demais destaques do dia.

Maiores altas desta quinta-feira (8):

TickerNomeSetorVariação (%)
XPPR11XP PropertiesOutros15,14
MCCI11Mauá Capital Recebíveis ImobiliáriosTítulos e Val. Mob.1,87
BTRA11BTG Pactual Terras AgrícolasAgro1,87
JSAF11JS Ativos FinanceirosTítulos e Val. Mob.1,21
HGCR11Atrio Reit Recebíveis ImobiliáriosTítulos e Val. Mob.1,09

Maiores baixas desta quinta-feira (8):

TickerNomeSetorVariação (%)
DEVA11Devant Recebíveis ImobiliáriosTítulos e Val. Mob.-5,12
TORD11TordesilhasTítulos e Val. Mob.-1,94
BRCO11Bresco LogísticaLogística-1,88
BLMG11Bluemacaw LogísticaLogística-1,80
MCHF11Mauá Capital Hedge FundTítulos e Val. Mob.-1,51

Fonte: B3

RBRP11 fecha contrato de locação pelo prazo de 6 anos


O RBR Properties (RBRP11) informou que conseguiu alugar mais um imóvel do fundo. O contrato de seis anos é referente a um andar do Edifício River One, no bairro de Pinheiros, em São Paulo>

A locação dos conjuntos 151 e 152 (15º andar) representará a ocupação de 7,3% das lajes do Edifício River One, atingindo 46,2% de ocupação física e 47,8% de ocupação física total do edifício.

O novo contrato ainda fará com que a vacância do fundo caia de 31% para 27%. O valor do aluguel terá um impacto de R$ 0,019 por cota.


Dividendos

Confira os FIIs que distribuem dividendos nesta quinta-feira (8):

TickerRendimentoRetorno
AIEC11R$ 0,170,31%
CACR11R$ 1,351,29%
GGRC11R$ 0,900,78%
PATL11R$ 0,600,88%

Fonte: StatusInvest

Newsletter

Liga de FIIs

Receba em primeira mão notícias exclusivas sobre fundos imobiliários

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Ana Paula Ribeiro

Jornalista colaboradora do InfoMoney