Onde Investir

Os investidores que ficaram bilionários na esteira de Warren Buffett

A história de empresários e investidores que ficaram bilionários por terem acreditado em Warren Buffett

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO –  O megainvestidor Warren Buffett é uma lenda viva do mercado acionário. Conhecido pela maneira ‘certeira’ como investe, não por acaso ele se tornou o quarto homem mais rico do mundo, de acordo com a lista da Forbes. E ao confiarem em Buffett, outros investidores também se tornaram bilionários. A Bloomberg identificou algumas dessas pessoas.

Um deles é  Stewart Horejsi.  Em 1980, os negócios de Horejsi estavam indo mal. Sua empresa, a Brown Welding Supply LLC, distribuidora de tanques de hidrogênio e oxigênio, estava lutando contra concorrentes que tinham a intenção de expandir-se para a área do Kansas que ele controlava.

“Era um negócio rentável, mas as outras empresas estavam ganhando dinheiro e investindo mais em caminhões”, disse Horejsi. “A competição só crescia.”

Aprenda a investir na bolsa

Frustrado, ele comprou, com o caixa da Brown Welding, 40 ações da Berkshire Hathaway por US$ 265  cada após amigos terem contado sobre Warren Buffett, que na época jé presidia a companhia mas ainda não era tão conhecido. Ele comprou mais 60 papéis duas semanas depois por US$ 295 e mais 200 por US$ 330 um mês depois disso.

Hoje, Horejsi é bilionário e possui 4.300 ações Classe A do conglomerado baseado em Omaha, mais do que o total controlado por Bill Gates, homem mais rico do mundo e sócio de Buffett. Ele tem um patrimônio líquido de pelo menos US $ 1,1 bilhão, de acordo com o Índice de Bilionários Bloomberg.

Entrou no início e segurou os papéis.
“Eu fui a 32 reuniões anuais,” disse Horejsi, recordando alguns dos primeiros encontros realizados na cafeteria da subsidiária de seguros da Berkshire National Indemnity Co., no centro de Omaha. “Havia 12 de nós em cadeiras dobráveis. Eu levei amigos e propus questões para as reuniões dos próximos anos”.

Horejsi teve sua participação na Berkshire em 5.800 ações Classe A, e vendeu 1.500 delas, em 1998. Um ano depois, ele vendeu a empresa de soldagem de abastecimento de família para a empresa de Pensilvânia Airgas Inc. e acumulou o controle de quatro fundos de ações fechados. Agora ele os co-gerencia através da Boulder Investment Advisers LLC, sua empresa de gestão de recursos.

Os investidores que se tornaram bilionários pelo sucesso de Buffett provavelmente se dividem em duas variedades de acionistas da Berkshire. A primeira é composta de investidores nas parcerias de investimento gerenciadas por Buffett, a primeira das quais foi iniciada em 1956. A outra inclui empresários inteligentes ou sortudos o suficiente para vender suas empresas para Berkshire por ações da companhia em vez de dinheiro.

Além de Buffett, quarta pessoa mais rica do mundo, pelo menos seis bilionários têm suas  fortunas derivadas da Berkshire. A lista inclui Charles Munger, 89, vice-presidente da Berkshire  e David Gottesman, 86, um membro do conselho da companhia e fundador da asset First Manhattan Co.

PUBLICIDADE

A falecida esposa de Buffett, Susan, morreu em 2004, com uma participação de 2,2% na companhia. Albert Ueltschi, fundador da FlightSafety International Inc., que Berkshire adquiriu, em 1996, por cerca de US$ 1,5 bilhão em ações e dinheiro, vendeu o sua participação de 31,8% por ações da Berkshire, uma holding que teria sido avaliada em 2,4 bilhões dólares quando morreu 16 anos depois. Harold Alfond, fundador do Dexter Shoe Co., morreu em 2007, com US$ 3 bilhões em ações da Berkshire.

Há provavelmente outros bilionários por conta da Berkshire a serem descobertos. Em um artigo da revista Fortune, de junho de 2010, Buffett disse que sabia de dois acionistas da Berkshire que se qualificam para a lista dos 400 americanos mais ricos da Forbes, mas que não estavam listados.

“Há um monte deles por aí”, disse a assistente de Buffett, Debra Bosanek, por e-mail, referindo-se ao número de pessoas que poderiam ter se tornado bilionárias com a Berkshire.