Em onde-investir

Como comprar ações da Azul (AZUL4)

Foram quatro tentativas até a empresa listar suas ações na bolsa. Rapidamente, elas ganharam liquidez e relevância. Saiba como comprar ações da Azul

IPO da Azul
(BM&FBOVESPA/Divulgação)

Depois de quatro tentativas, a companhia aérea Azul finalmente teve suas ações listadas no pregão da B3 em 2017. A empresa está entre as maiores do segmento no Brasil e é considerada a mais capilarizada: atende 103 cidades, contra 54 da Gol e 45 da Latam, suas concorrentes. Aprenda agora como comprar ações da Azul sem mistério.

O que saber antes de comprar

A  Azul tem algumas vantagens em relação a seus concorrentes que podem tornar suas ações atrativas aos interessados pelo setor aéreo. A participação de mercado da companhia é de 18%. A empresa opera diversas rotas regionais - e como é a única em cerca de 70% das rotas em que tem presença, consegue praticar tarifas superiores.

O desempenho das ações das empresas do setor aéreo costumam seguir o ritmo da atividade econômica: quanto mais forte ela for, maior a demanda por voos. Mas não é só isso o que determina a performance. O câmbio é outro fator muito importante. Isso porque boa parte dos custos e da dívida de uma empresa aérea está atrelada ao dólar. O combustível para aviação, por exemplo, é uma commodity cotada em dólares.

Fora esses fatores de mercado, a empresa possui algumas particularidades técnicas que devem ser consideradas por quem está pesquisando sobre como comprar ações da Azul:

Estrutura de capital

A Azul possui ações ordinárias (AZUL3) e também preferenciais (AZUL4). A principal diferença entre elas é que as ordinárias dão direito a voto, enquanto as preferenciais asseguram preferência na distribuição de dividendos. No caso da Azul, porém, a estrutura de capital envolve algumas particularidades.

No formato criado pela Azul, cada ação preferencial é equivalente a 75 ações ordinárias e tem direito a receber 75 vezes o valor dos dividendos distribuídos aos detentores de ações ordinárias. Os detentores de ações ordinárias têm controle de voto sobre a Azul e os acionistas preferenciais possuem 100% de tag along.

Isso significa que no caso de mudança de controle da empresa, os acionistas minoritários fazem jus a 100% do valor recebido pelo controlador da empresa. Apenas ações preferenciais são negociadas no pregão atualmente.

Liquidez

As ações da Azul ganharam bastante volume de negociação logo depois de terem sido listadas no pregão da B3. Tanto é que apenas dois anos depois do IPO, os papéis da empresa foram incluídos na composição do Ibovespa. Cerca de 0,7% da carteira do principal índice de ações do país, válida a partir de maio de 2019, era composta por papéis da Azul.

Dividendos

Ao contrário da maioria das empresas, a Azul estabeleceu um valor para os dividendos mínimos obrigatórios inferior ao previsto na legislação brasileira.

A Lei das Sociedades por Ações estabelece que os dividendos mínimos devem ser de 25% do lucro líquido ajustado - a menos que haja uma disposição diferente no estatuto da companhia. E no caso da Azul, há.

A política definida pela Azul é a distribuição de 0,1% do saldo do lucro líquido ajustado como proventos para seus acionistas. Não há registro de que a Azul já tenha distribuído dividendos alguma vez a seus investidores.

Desde que abriu o capital na B3, o valor de mercado da Azul evoluiu conforme o padrão abaixo:

Passo a passo para comprar ações da Azul

Siga as três etapas abaixo para comprar ações da Azul com segurança:

1. Pense nos seus objetivos de investimento

Quer comprar ações da Azul - ou de qualquer outra empresa? Comece definindo seus objetivos de investimento. Há uma diferença muito grande entre as estratégias. É possível investir pensando nos ganhos de curto prazo. Nesse caso, quando as cotações recuam de maneira repentina, em resposta a um evento pontual, eis uma chance de comprar.

Já quem visa o longo prazo tem uma situação diferente. Normalmente essas pessoas têm a motivação de se tornar sócias da empresa - e ganhar dinheiro conforme ela cresce e lucra. A escolha de uma das duas estratégias é decisiva para definir quando, quanto e a que preço comprar ações da Azul.

2. Conheça a Azul detalhadamente

Para ter mais segurança ao comprar ações da Azul, é interessante que você se informe sobre as perspectivas de performance da empresa. As corretoras e casas de análise costumam disponibilizar relatórios de análise com essas informações.

Nesse tipo de material, os analistas normalmente traçam um perfil das empresas, além de avaliar os seus resultados financeiros e emitir uma opinião: se acham que é hora de comprar ou de vender os papéis. Os analistas podem indicar ainda que o melhor é “manter”.

Em linhas gerais, para quem não tem as ações na carteira, é um sinal para evitar comprá-las no momento.

3. Tenha uma conta em uma corretora

É necessário ter uma conta em uma corretora para poder comprar ações da Azul. Você deve escolher uma entre as mais de 80 instituições autorizadas pela B3. O envio de ordens de compra e de venda para o pregão exige a intermediação de uma corretora.

Para escolher, verifique o valor das taxas de corretagem. Trata-se de um valor cobrado cada vez que alguém compra ou vende uma ação. Pode ser fixo, em reais, ou um percentual sobre o valor da operação. Há corretoras, como a Clear, que não cobram taxa de corretagem.

Para que a corretora execute a sua ordem de comprar ações da Azul, é necessário manter dinheiro nessa conta. Isso é feito por meio de uma transferência (TED ou DOC) do seu banco para a corretora. Depois, basta acessar o home broker - sistema de negociação online - ou contatar a mesa de operações pelo telefone para passar a ordem de compra. Será preciso informar a quantidade de ações que pretende adquirir e a que preço.

Invista em ações com taxa ZERO de corretagem: clique aqui e abra uma conta na Clear!

 

Contato