“Monstro do Leblon” tenta acordo com CVM para encerrar acusações

Flávio Calp Gondim, que ficou conhecido por realizar operações altamente alavancadas e perder bilhões na pandemia, virou réu na CVM no ano passado

Equipe InfoMoney

(Divulgação)

Publicidade

Flávio Calp Gondim, conhecido como “Monstro do Leblon”, apresentou uma proposta de termo de compromisso à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) na tentativa de encerrar um Processo Administrativo Sancionador (PAS) aberto contra ele e seu fundo Ponta Sul no ano passado. A informação foi veiculada primeiro no jornal O Globo.

Gondim ganhou notoriedade após faturar usando estratégia arrojada com alta alavancagem, mas que rendeu prejuízo bilionário em um curto período em 2022. As perdas se deram após queda forte das ações do Inter (BIDI11), que tinham o maior peso no fundo FIA PONTA SUL IE, do qual ele é o único cotista.

O “Monstro” virou réu na CVM em agosto de 2023 sob acusações “criação de condições artificiais de oferta, demanda e preço”. Segundo a autarquia, o investidor teria infringido a lei em operações com os contratos futuros de dólar DOLN19 e DOLU19 em três pregões de 2019, nos dias 3 de junho, e 13 e 20 de agosto.

Continua depois da publicidade

A proposta de termo de compromisso, que em geral envolve a oferta de uma quantia em dinheiro para encerrar um processo, foi apresentada em 18 de janeiro deste ano. A CVM não comenta sobre processos específicos em andamento.

*Correção: a foto que ilustrava originalmente esta reportagem não era de Flávio Calp Gondim, mas de um homônimo. A imagem foi removida.