Lei dos fundos exclusivos pode liberar alavancagem de FIIs, apontam especialistas

Mesmo com as restrições atuais, fundos mais alavancados têm hoje dívidas que chegam a 40% do patrimônio

Wellington Carvalho

Publicidade

A lei 14.754, que trata da tributação dos fundos de investimentos exclusivos, sancionada em dezembro pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sugere mudanças nas regras para a alavancagem [endividamento] dos FIIs, observam especialistas no produto.

Em recente artigo, Felipe Ribeiro, sócio do Clube FII, chamou a atenção para as alterações que passam a permitir, por exemplo, o uso dos imóveis do fundo como garantia para obrigações (dívidas) assumidas pela carteira – operação até então não permitida.

Autor do livro Método Fayh: Descubra Como Escolher os Melhores Fundos Imobiliários, Marcelo Fayh tem o mesmo entendimento sobre o artigo 42 da lei – que prevê as alterações – e vê nas mudanças uma espécie de “liberou geral”.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

“Basicamente, agora pode tudo, desde que a alavancagem seja para garantir obrigações do próprio fundo”, avalia o especialista. “Na prática, liberou geral”, opinou o analista nas redes sociais.

O InfoMoney entrou em contato com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e aguarda retorno da reguladora sobre o tema.

Atualmente, os fundos não têm permissão para tomar um empréstimo, mas podem, por exemplo, comprar um imóvel a prazo ou emitir títulos de dívida – certificados de recebíveis imobiliários (CRI).

Continua depois da publicidade

Utilizando das alternativas até então disponíveis, os fundos apresentam hoje alavancagem de até 40% do patrimônio, como é o caso do Guardian Logística (GALG11).

Com mais de 40 anos de experiência no segmento imobiliário, Marcelo Hannud, CEO da Aurea Finvest, até concorda com a flexibilização das regras para a alavancagem dos FIIs, mas sugere parcimônia na utilização do instrumento.

“A alavancagem é uma ferramenta para ser usada pontualmente, não é um modus operandi dos FIIs”, afirma. “Aprecie com moderação”, brinca.

Na visão de Hannud, deveria existir um limite para a alavancagem dos fundos imobiliários. Em entrevista ao Liga de FIIs, ele citou um percentual na casa dos 15% a 20% como patamar saudável para a carteira.

Confira a análise completa do CEO da Aurea Finvest na edição desta semana do Liga de FIIs. O programa vai ao ar todas as terças-feiras, às 19h, no canal do InfoMoney no Youtube. Você também pode rever todas as edições passadas.

Newsletter

Liga de FIIs

Receba em primeira mão notícias exclusivas sobre fundos imobiliários

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Wellington Carvalho

Repórter de fundos imobiliários do InfoMoney. Acompanha as principais informações que influenciam no desempenho dos FIIs e do índice Ifix.