Conteúdo editorial apoiado por

Juros nos EUA: mercado aponta para corte de 0,25 ponto na reunião de março do Fed

Mesmo com dados do mercado de trabalho mais forte, agentes precificam mais de 70% de chance de uma redução de 0,25 ponto percentual das taxas na segunda reunião do ano

Bloomberg

Sede do Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos EUA) (Nathan Howard/Bloomberg)

Publicidade

Os investidores dos títulos do Tesouro americano (Treasuries) mantêm-se firmes nas apostas de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) reduzirá drasticamente as taxas de juros em 2024, mesmo com uma série de dados sobre emprego e do setor de serviços derrubando os retornos nesta sexta-feira.
Os contratos de swap vinculados às datas das reuniões do Fed estão novamente precificando cortes e colocam mais de 70% de chance de uma redução de 0,25 ponto percentual nas taxas em março. Embora essas apostas tenham diminuído na sequência do relatório de criação de emprego que superou as estimativas e trouxe salários elevados, o mercado rapidamente subiu à medida que uma análise mais profunda dos dados sobre as folhas de pagamento e uma leitura suave sobre o setor de serviços dos EUA encorajaram os investidores.

O movimento ocorre depois do forte rali visto nos últimos dois meses de 2023, após sinais de que o Fed estaria orientado a adotar uma política monetária mais “dovish” (menos inclinada ao aperto monétario). Com a queda nos preços de títulos de até 0,75% este ano, levando em conta o fechamento de quinta-feira, e com os rendimentos permanecendo mais altos durante a semana, muitos no mercado estão vendo o aumento das taxas como uma oportunidade para recalibrar as apostas.

“O mercado ficou muito à frente do Fed”, disse Rick Rieder, diretor de investimentos de renda fixa global da BlackRock à Bloomberg Television. “Acho que você pode começar a ter taxas de juros”, disse ele, acrescentando que acredita que o Fed provavelmente cortará as taxas pela primeira vez em maio ou junho. Rieder ficará “muito entusiasmado” com os títulos do Tesouro se as taxas subirem mais 15 a 20 pontos-base, disse ele.

Oferta Exclusiva

CDB 150% do CDI

Invista no CDB 150% do CDI da XP e ganhe um presente exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Volatilidade nos negócios

Os rendimentos do Treasury de dois anos subiram quase 10 pontos-base no início das negociações nesta sexta-feira, para cerca de 4,48% – o mais alto desde meados de dezembro – antes de cair para cerca de 4,33%. A taxa – a mais sensível à política do Fed – subiu cerca de oito pontos-base na semana. Os rendimentos de todos os vencimentos caíram no meio da manhã, com a taxa de referência global de 10 anos em cerca de 3,97%, bem abaixo da taxa máxima diária vista na sexta-feira, que ficou em torno de 4,10%.

As oscilações ocorreram após a divulgação do payroll que mostrou que os Estados Unidos criaram 216 mil vagas após revisões para baixo em outubro e novembro. A taxa de desemprego manteve-se em 3,7%, à medida que a força de trabalho diminui e o rendimento médio por hora aumentou 0,4% em relação ao mês anterior. Enquanto isso, o indicador geral de serviços do ISM (Institute for Supply Management) diminuiu 2,1 pontos, o maior nível desde março, para 50,6 pontos em dezembro. O índice, embora permanecendo acima do nível 50, que indica expansão, foi o segundo mais fraco do ano.

“Apesar da força do número de vagas fora do setor agrícola, os títulos do Tesouro encontraram uma oferta impressionante após a venda automática que ocorreu em resposta aos dados”, disse Ben Jeffery, da BMO Capital Markets. “Essa manifestação se estendeu na esteira do ISM.”

Após a sua última reunião do ano, os integrantes do Fed publicaram novas previsões trimestrais sobre as perspectivas para a taxa de juro – projetando três cortes de 0,25 ponto percentual no total para este ano. O banco central dos EUA deixou inalterado o seu objetivo para a taxa em dezembro, entre 5,25% e 5,5%. O Fed iniciará sua próxima reunião de dois dias em 30 de janeiro.

Os investidores estão agora se preparando para mais volatilidade, à medida em que que ajustam as perspectivas em torno dos principais dados econômicos. As posições longas – aquelas que apostam na valorização dos títulos do Tesouro – foram reduzidas e algumas novas posições vendidas foram adicionadas, de acordo com dados futuros. Mas também algumas empresas que seguem tendências, como o AlphaSimplex Group – que ganhou muito com o aumento dos rendimentos que começou em 2022 – sinalizaram esta semana que os seus sinais são agora otimistas em relação aos títulos.

“O que estamos vendo agora é a criação de volatilidade e isso faz sentido”, disse Gregory Faranello, chefe de negociação e estratégia de taxas nos EUA da AmeriVet Securities. “Certamente não é inconsistente com um Fed em espera e o próximo movimento de queda. A reunião de março ainda parece apertada”, disse ele, acrescentando que é a favor do curto prazo.

Newsletter

Quer aprender a investir – e lucrar – no exterior?

Inscreva-se na newsletter do InfoMoney para receber informações sobre tributação, procedimentos de envio e sugestões de alocação para seu dinheiro lá fora. É de graça!

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.