caiu mais de 20%

JP Morgan corta recomendação de Oi após quedas consecutivas

O JP rebaixou a recomendação de neutra para underweight devido à deterioração percebida na governança corporativa, entre outros pontos

SÃO PAULO – Os analistas do JP Morgan cortaram recomendação das ações da OI (OIBR4) após a divulgação do investimento de 897 milhões de euros da Portugal Telecom em papéis de dívida da Rioforte, que pertence ao Grupo Espírito Santo.

“Rebaixamos a recomendação de neutra para underweight (abaixo da média de mercado) devido à deterioração percebida na governança corporativa, ao risco de mercado deste empréstimo e aos múltiplos da companhia”, destacaram os analistas do banco de investimentos.

Nos últimos 6 pregões, encerrados na terça-feira (8), as ações da Oi despencaram 19,42%. Nesta quinta feira o humor dos investidores não mudou: os papéis enfrentam queda de mais de 7%.

Em relação à governança corporativa, o JP aponta que o mercado ficou com a percepção de que a governança corporativa da empresa vai levar algum tempo para melhorar. “Um dos benefícios esperados da fusão da Oi com a Portugal Telecom foi a adoção de padrões mais elevados de governança corporativa. Acreditamos que as operações com grandes acionistas sem divulgação adequada para os minoritários são negativas neste quesito”, disseram.

Sobre o risco de crédito, os analistas do JP ressaltaram que uma auditoria especial foi realizada recentemente nas demonstrações financeiras consolidadas do Grupo Espírito Santo e que foram encontradas irregularidades contábeis. “A auditoria constatou que o grupo está em grave situação financeira”, disseram.

Outro ponto que preocupa o JP Morgan é a gestão financeira da empresa. “Para nós é preocupante o fato de que 40% das reservas de caixa da Portugal Telecom tenham sido investidos em um único emissor privado”, disseram.