Itaú Asset fecha para aplicação fundos com quase 50 mil cotistas; ex-BC assume gestão

O maior produto em termos de investidores e de patrimônio líquido era o Itaú Mult Yield Plus FC, com cerca de 29 mil cotistas

Bruna Furlani

Publicidade

A Itaú Asset Management informou, nesta semana, que fechará os sete fundos da família Hedge Plus para novas aplicações. A medida vale para investidores atuais e novos cotistas. Ao todo, os fundos detinham quase 50 mil cotistas e o patrimônio líquido somado de todos chegava a R$ 5,29 bilhões até a última segunda-feira (26), segundo dados do Anbima Data.

Os fundos que serão fechados são o Itaú Hedge Mult FI, Itaú Macro Opportunities Mult FC, Itaú Multi Yield Plus FC, Itaú Legend PF LP FC, Itaú Flexprev Macro Prev FIF CIC Mult, além do Itaú Flexprev Macro Prev Performance MM FICFI, e do Itaú Flexprev Macro Opportunities MM FICFI.

Os três últimos são produtos exclusivos e voltados para investidores profissionais, ou seja, com pelo menos R$ 10 milhões em aplicações. Já os demais são de renda fixa ou multimercados e possuem o foco no investidor em geral, ou qualificado, com o mínimo de R$ 1 milhão em aplicações.

Aula Gratuita

Os Princípios da Riqueza

Thiago Godoy, o Papai Financeiro, desvenda os segredos dos maiores investidores do mundo nesta aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Segundo dados levantados pelo InfoMoney com base nos números do Anbima Data, o maior fundo em termos de cotistas e de patrimônio era o Itaú Mult Yield Plus FC, com mais de R$ 2,73 bilhões em patrimônio líquido na última segunda-feira (26) e com quase 29 mil cotistas.

Além do fechamento, a gestora informou que a gestão passará por mudanças. O ex-diretor de política monetária do Banco Central (BC) Bruno Serra assumirá as decisões de alocação da maior parte dos fundos.

“O processo de transição já foi iniciado e deverá ser finalizado nos próximos dias. A equipe liderada por Bruno Serra continua a mesma, sem qualquer alteração de sua estrutura”, destacou a Itaú Asset em resposta à reportagem.

Continua depois da publicidade

Em setembro do ano passado, Serra passou a integrar a área multimesas da Itaú Asset, onde é o gestor responsável pela nova família de fundos chamada “janeiro”.

O Itaú Multi Yield Plus FC será o único fundo que não migrará para a gestão do ex-BC e que ficará sob responsabilidade de Mariana Dreux e Fabio Bichmacher, que vieram da Truxt Investimentos no ano passado.

Assim como boa parcela dos multimercados, o Itaú Multi Yield Plus teve um ano difícil em 2023. No ano passado, o retorno oferecido pelo produto chegou a 11,07%, contra 13,05% do CDI. Em janeiro deste ano, o fundo também acumulou perdas de – 0,11%, contra um CDI de 0,97%.