Conteúdo editorial apoiado por

Gestores americanos mexem nas carteiras e apostam em 10 ações – e duas são brasileiras

Entre nomes conhecidos como Amazon e Intel, o top 5 de ações com a maior variação positiva nos aportes na virada do ano incluiu duas ações de empresas brasileiras negociadas no exterior

Paulo Barros

Publicidade

Gestores de Wall Street mexeram nas carteiras de ações na virada do ano, enquanto acompanhavam as perspectivas de queda de juros nos Estados Unidos e viam a disparada das bolsas, que não cessou em 2024. Segundo levantamento da Bloomberg com base em registros de 835 fundos de hedge enviados a reguladores, as posições combinadas totalizaram US$ 677,23 bilhões no fim de 2023, ante US$ 614,09 bilhões três meses antes.

Nesse montante, dez empresas se destacam com saldo positivo em aportes no período. Em uma lista com nomes conhecidos, como Amazon e Intel, o top 5 conta com duas empresas brasileiras com ações negociadas no exterior: os bancos Bradesco e Itaú Unibanco, que divulgaram resultados referentes ao quatro trimestre muito diferentes entre si.

Do lado positivo, o Itaú foi destaque com ligeira queda da inadimplência e pagamento de dividendos extraordinários. As projeções para 2024 incluíram previsão de crescimento de 6,5% a 9,5% da carteira de crédito total, que acumulou em 2023 expansão de 3,1%, ante previsão de aumento entre 5,7% e 8,7%.

Aula Gratuita

Os Princípios da Riqueza

Thiago Godoy, o Papai Financeiro, desvenda os segredos dos maiores investidores do mundo nesta aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Na ponta negativa, o Bradesco perdeu R$ 24 bilhões de valor de mercado apenas na sessão pós-balanço, com resultados fracos, guidance para 2024 considerado conservador e um plano de recuperação que não animou os investidores.

Os registros compilados pela Bloomberg não trazem comentários dos gestores sobre as razões que levaram aos aportes. Dez fundos montaram posições em Bradesco em um total de US$ 76,69 milhões. Em Itaú, a aposta é de 16 fundos, mas em valor menor: US$ 40,84 milhões.

A ação que acumulou a maior quantidade de novas posições abertas foi a Vestis Corp, especializada uniformes e suprimentos para empresas. De fora do radar dos gestores três meses antes, 40 fundos montaram posição na ação ao final do ano passado, em um total de US$ 19,4 milhões.

Já a Amazon ficou no zero a zero quando o assunto é quantidade líquida de novas posições: 158 fundos investiram, mas a mesma quantidade vendeu no período. O montante posicionado no papel, no entanto, cresceu US$ 14,76 milhões, e alcançou US$ 141,82 milhões.

Confira a lista de empresas com o maior crescimento nas posições em carteiras de fundos de hedge em Wall Street:

NomePosição (US$)Variação da Posição (US$)Investidores que aumentaram posiçãoInvestidores que reduziram posição
Vestis Corp19,4 milhões19,13 milhões400
Tencent Music Entertainment Group Adr-Class A35,71 milhões18,52 milhões149
Hewlett Packard Enterprise Co69,12 milhões16,61 milhões2636
Banco Bradesco SA76,69 milhões16,21 milhões107
Itau Unibanco Holding SA40,84 milhões15,62 milhões169
Amazon.com Inc141,82 milhões14,76 milhões158158
Intel Corp41,31 milhões13,61 milhões5968
General Motors Co73,05 milhões13,29 milhões5641
JD.com Inc Adr-Class A46,77 milhões12,77 milhões3525
Southwestern Energy Co78,27 milhões12,54 milhões2326
Fonte: Bloomberg

Paulo Barros

Editor de Investimentos