Conteúdo editorial apoiado por

Fundos “verdes” enganam investidor e têm elo com indústria do petróleo, diz pesquisa

Levantamento da Reclaim Finance mostra que 70% dos fundos passivos da Europa e dos EUA têm participação em empresas que estão expandindo projetos de combustíveis fósseis

Bloomberg

Publicidade

Mais de dois terços dos fundos passivos comercializados como sustentáveis estão ajudando a financiar o crescimento da indústria de combustíveis fósseis, uma trajetória que a Agência Internacional de Energia disse ser incompatível com limitar o aquecimento global ao patamar crítico de 1,5ºC. 

Dos 430 fundos passivos sustentáveis administrados por cinco grandes gestores de ativos na Europa e nos EUA, 70% “foram expostos a empresas que desenvolvem novos projetos de combustíveis fósseis”, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira (20) pela ONG Reclaim Finance. “Esses investimentos estão alimentando as mudanças climáticas”, disse a organização sem fins lucrativos com sede em Paris. 

O estudo é baseado em dados brutos da plataforma de mercado Morningstar e abrange um total de quase US$ 2,7 trilhões em ativos. A análise se concentrou em exposições a empresas que ainda estão gastando capital em novos projetos de fornecimento de combustíveis fósseis. 

Aula Gratuita

Os Princípios da Riqueza

Thiago Godoy, o Papai Financeiro, desvenda os segredos dos maiores investidores do mundo nesta aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Leia também:

O que é ESG e como avaliar as práticas de uma empresa na bolsa de valores

“Mesmo os gestores de ativos que afirmam ter políticas climáticas são parte do problema, já que a maioria não aplica suas políticas a fundos passivos”, disse Lara Cuvelier, especialista em investimentos sustentáveis da Reclaim Finance, em comunicado. “É hora de investidores institucionais e reguladores acordarem e tomarem medidas para impedir essas alegações enganosas.” 

Alguns reguladores estão reprimindo mais do que outros. No final do ano passado, a França disse que só permitirá que os fundos usem um rótulo ambiental, social e de governança se colocarem na lista proibida empresas de combustíveis fósseis que estão expandindo a produção. A marca, conhecida como SRI, tem potencial para desencadear cerca de US$ 7,6 bilhões em desinvestimentos, estimou a Morningstar em novembro. 

A Reclaim Finance também pediu aos proprietários de ativos que pressionem os gestores de investimentos a cumprir seus compromissos net zero. 

© 2024 Bloomberg L.P. 

Newsletter

Quer aprender a investir – e lucrar – no exterior?

Inscreva-se na newsletter do InfoMoney para receber informações sobre tributação, procedimentos de envio e sugestões de alocação para seu dinheiro lá fora. É de graça!

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.