Em onde-investir / fundos-de-investimento

Pensando em sair do Brasil? EUA dão Green Card para quem investir lá

Visto para residência concedido pelo governo estadunidense é de dois anos e pode ser renovado para se tornar permanente

Nova York
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Investir nos EUA pode ser um bom caminho para quem pensa em morar lá definitivamente. Com a intenção de aquecer a economia de regiões com baixos índices de crescimento e alto desemprego, o governo estadunidense decidiu abrir as portas para investidores estrangeiros que tenham, no mínimo, US$ 500 mil para investir nos EUA.

É possível se candidatar a investir em um negócio nos EUA pedindo o visto EB-5, que é válido por dois anos. Com ele em mãos, é possível trabalhar, viver ou desfrutar da aposentadoria nos EUA com cônjuge e filhos solteiros com menos de 21 anos.

Quem quer se aplicar para obter um visto EB-5 tem duas opções de investimento. A primeira é o investimento individual, onde os candidatos devem abrir um negócio próprio de seu interesse, responsabilizando-se por assumir a gestão da companhia. Nesse caso, o investimento mínimo é de US$ 1 milhão, ou de US$ 500 mil em regiões pré-aprovadas pelo governo estadunidense.

A segunda opção é investir por um Centro Regional EB-5. Nesse caso, o investidor se torna sócio de um empreendimento já existente em uma região com taxas de desemprego acima da média nacional dos EUA. No entanto, o investidor não é obrigado a residir na área em questão. Nesse caso, o investimento mínimo é de US$ 500 mil.

A cada ano, os EUA abrem inscrição para 10 mil vistos EB-5. Até hoje, essas vagas não foram completamente preenchidas e, assim, não há fila de espera. Além disso, se após dois anos de atividade o empreendedor conseguir gerar no mínimo dez empregos para cidadãos estadunidenses, ele poderá renovar seu green-card condicional de dois anos, tornando-o permanente.

Suzane Bacelar, empresária que reside na Flórida e fornece consultoria de serviços imigratórios para investidores brasileiros, diz que o número de pessoas interessadas em montar uma empresa nos EUA cresceu bastante nos últimos seis meses. “A burocracia daqui é menor, a economia é sólida e a possibilidade de ganhar um green card enche os olhos do público da classe A”, aponta.

Suzane ainda completa: “Como a economia (dos EUA) é sólida, a maioria desses investidores consegue cumprir a meta de gerar dez empregos em dois anos. Com isso, terminam ganhando o green card permanente para si e para toda a família”.

 

Contato