Fundo imobiliário perde 60% das receitas, mas espera acelerar venda de ativos; Ifix cai 0,12%

RBRS11 vê potencial de valorização em unidades do Cyrela For You Paraíso

Ana Paula Ribeiro

Publicidade

O fundo Rio Bravo Renda Residencial (RBRS11) terá sua rentabilidade afetada no curto prazo pelo fim de mecanismo de renda garantida que estava vinculado à compra do empreendimento Cyrela For You Paraíso, localizado na capital paulista. Espera-se, no entanto, que o reflexo seja de curto prazo.

“A Rio Bravo acredita que a receita imobiliária proveniente das operações começará pequena e tende a ter uma curva de crescimento ao longo do tempo, conforme o imóvel seja maturado”, afirmou a administração do fundo em fato relevante divulgado na noite de segunda-feira (22).

A receita mencionada virá da locação das unidades e também da possível venda de parte do portfólio. Das 261 adquiridas, o fundo informou que 24 já foram comercializadas.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

CDB 150% do CDI

Invista no CDB 150% do CDI da XP e ganhe um presente exclusivo do InfoMoney

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Todas as 261 unidades foram adquiridas em novembro de 2020. Durante o período de construção, ficou acordado que a construtora pagaria uma renda garantida mensal ao fundo, que era equivalente a cerca de 60% das receitas totais do RBRS11. Com a entrega do Cyrela For You Paraíso, em dezembro, esses pagamentos foram cessados.

Além do fim da renda garantida, o fundo também terá que arcar com os custos dos juros dos CRIs (certificados de recebíveis imobiliários) que foram emitidos para pagar a aquisição das 261 unidades, o que foi feito no ato da entrega dos imóveis.

O valor da emissão foi de R$ 48,5 milhões e taxa de IPCA mais 9,5% ao ano. O vencimento desse papel será em fevereiro de 2024, mas não há carência para o pagamento de juros, o que impactará as despesas do fundo em cerca de R$ 0,21 por cota ao mês, segundo o fato relevante.

Continua depois da publicidade

Os recursos captados foram utilizados para quitar a aquisição das unidades e também para mobiliar e equipar esses apartamentos, que serão utilizados, principalmente, para o serviço de locação de curta temporada (short-stay).

Ainda de acordo com o documento, as 24 unidades vendidas tiveram um preço médio de R$ 15 mil o metro quadrado, cerca de 48% acima da média de mercado na região e pouco mais de 30% acima do valor de aquisição firmado em novembro de 2020.

“A gestão segue buscando realizar vendas a preços atrativos, com bons retornos para o fundo e com um horizonte de tempo confortável para que as vendas sejam realizadas nas melhores condições possíveis.”

O fundo ainda possui em portfólio unidades residenciais nos empreendimentos Urbic Vila Mariana e Urbic Sabiá, também em São Paulo.

Ifix hoje

Na sessão desta terça-feira (23), o Ifix – índice dos fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – fechou em leve queda de 0,12%, aos 3.330 pontos. Confira os demais destaques do dia.


Maiores altas desta terça-feira (23):

TickerNomeSetorVariação (%)
BRCR11BTG Pactual Corporate OfficeHíbrido1,68
VGIP11Valora CRI Índice de PreçosTítulos e Val. Mob.1,21
VGHF11Valora Hedge Híbrido1,05
MFII11Mérito Desenvolvimento ImobiliárioHíbrido0,97
WHGR11WHG Real StateHíbrido0,82

Maiores baixas desta terça-feira (23):

TickerNomeSetorVariação (%)
KFOF11Kinea FIIFoF-1,85
RBRP11RBR PropertiesRenda-1,84
BRCO11Bresco LogísticaLogística-1,65
CPTS11Capitania Securities IITítulos e Val. Mob.-1,41
VILG11Vinci LogísticaLogística-1,35

Fonte: B3


EVBI11 conclui aquisição de imóvel locado para o Pão de Açúcar


O fundo VBI Consumo Essencial (EVBI11) concluiu o pagamento da compra de um imóvel que está locado para o Pão de Açúcar. O pagamento final foi feito em 19 de janeiro, segundo fato relevante divulgado nesta terça-feira.

Em outubro, o fundo comunicou a celebração de um instrumento particular de compra e venda de um imóvel de 5.821 metros quadrados, em Atibaia (SP), que é ocupado por uma loja da rede de supermercados Pão de Açúcar.

O valor da aquisição foi de R$ 40,5 milhões e pago da seguinte forma: R$ 500 mil na celebração do instrumento de compra e venda e R$ 40 milhões pagos na lavratura da escritura, o que ocorreu no último dia 19.
A transação deve resultar em um lucro distribuível ao investidor de R$ 0,67 por cota.


HBRH11 passa a ter novo código a partir do dia 1º de fevereiro

O fundo imobiliário Multi Renda Urbana (HBRH11) passará a ter um novo código de negociação a partir do dia 1º de fevereiro. As cotas do FII passarão nessa data a serem negociadas sob o ticker VVMR11.

O comunicado foi feito em fato relevante divulgado pela administradora do fundo, BRL Trust, nesta segunda-feira à noite.


Dividendos hoje

Confira os FIIs que distribuem dividendos nesta terça-feira (23):

TickerRendimentoRetorno
RBRX11R$ 0,090,98%

Fonte: StatusInvest

Newsletter

Liga de FIIs

Receba em primeira mão notícias exclusivas sobre fundos imobiliários

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Ana Paula Ribeiro

Jornalista colaboradora do InfoMoney