Ifix fecha em alta de 0,31%; FII abre o ano com venda de R$ 28 milhões em imóveis

Ativos estão localizados na Faria Lima, na capital paulista

Ana Paula Ribeiro

(Arte: Léo Albertino)

Publicidade

O Ifix – índice dos fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – terminou a sessão desta quarta-feira (3) em alta, com valorização de 0,31%, aos 3.324 pontos.

Entre os fundos que fazem parte do índice, o RBR Properties (RBRP11) anunciou que vai começar o ano com uma repaginação em seu portfólio de ativos. O fundo, que tem gestão da RBR, anunciou a venda de imóveis que totalizam R$ 28,1 milhões. A transação vai ter um impacto direto no retorno do fundo estimada em R$ 0,46 por cota.

Em fato relevante, foi comunicada a venda de seis conjuntos localizados nos 6º e 12º andares de um edifício na Faria Lima, no bairro de Pinheiros, em São Paulo. O valor da transação é de R$ 20,6 milhões. O comprador irá pagar R$ 14 milhões após conclusão de “condições precedentes” e o restante (R$ 6,6 milhões) será parcelado em quatro vezes, com vencimento a cada 30 dias.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

Em outra transação, o fundo vendeu dois conjuntos no 15º andar do mesmo edifício. O valor é de R$ 7,56 milhões. Esse valor será pago de forma parcelada. O primeiro pagamento será de R$ 2,56 milhões, com o saldo de R$ 5 milhões dividido em 12 parcelas reajustadas pela variação do CDI.

O valor integral dessas vendas irá gerar um ganho de capital de R$ 0,46 por cota, o que é equivalente a uma taxa interna de retorno de 10,35% ao ano. Esse lucro só será distribuído a medida que as parcelas forem pagas, informou o fundo.

“O RBRP11 é um fundo de gestão ativa e tal desinvestimento está em linha com a estratégia de renovação do portfólio do Fundo e foco em ativos que a gestão tenha controle do condomínio”, segundo explicação do fato relevante.

Continua depois da publicidade

Ifix hoje


Na sessão desta quarta-feira (3), o Ifix – índice dos fundos imobiliários mais negociados na Bolsa – fechou em alta de 0,31%, aos 3.324 pontos. Confira os demais destaques do dia.

Maiores altas desta quarta-feira (3):

TickerNomeSetorVariação (%)
HGBS11Hedge Brasil ShoppingShoppings2,34
RCRB11Rio Bravo Renda CorporativaLajes corporativas2,06
AIEC11Autonomy EdifíciosLajes corporativas1,93
PORD11Polo RecebíveisTítulos e Val. Mob.1,85
BCRI11BanestesTítulos e Val. Mob.1,81

Maiores baixas desta quarta-feira (3):

TickerNomeSetorVariação (%)
HTMX11Hotel MaxinvestHotel-1,97
BTRA11BTG Pactual Terras AgrícolasAgro-1,76
VILG11Vinci LogísticaLogística-1,39
HSLG11HSI LogísticaLogística-0,92
BLMG11Bluemacaw LogísticaLogística-0,91

Fonte: B3

PVBI11 fecha compra de R$ 293,8 milhões

O VBI Prime Properties (PVBI11) anunciou a compra de mais de 7 mil metros quadrados de novos imóveis em um edifício comercial no Jardim Paulista, em São Paulo. A operação totaliza R$ 293,8 milhões. O fundo comprou áreas comerciais e vagas de garagens de sete unidades no edifício.

Do total da operação, R$ 220, 4 milhões foram pagos na celebração do contrato e R$ 73,5 milhões serão pagos após a compensação do preço de subscrição de cotas do PVBI.

Com base nessa aquisição, o fundo estima que a receita imobiliária terá um incremento de R$ 0,10 por cota, levando em conta a renda mínima garantida acordada com vendedor pelo prazo de 24 meses.

XPCM11 faz locação de imóvel em Macaé (RJ)

O XP Corporate Macaé (XPCM11) fechou mais um contrato de locação no Corporate Macaé, localizado no município fluminense homônimo.

A área locada, de 185,6 metros quadrados, está no 16º pavimento do edifício. O prazo do contrato é de 72 meses.

O fato relevante sobre a transação informa que a a receita bruta por 24 meses do contrato é de R$ 0,0161 por cota. Com o contrato, a vacância do fundo cai de 85% para 84%.

RECT11 registra inadimplência por parte de locatário

O REC Renda Imobiliária (RECT11) informou que o locatório de um de seus imóveis, em Barueri (SP), está inadimplente. A gestora não informou o valor ou o período dos atrasos nos pagamentos do aluguel, mas que já está tomando as medidas legais cabíveis. O imóvel em inadimplência é o conjunto 161B, no Subcondomínio Comercial.

Newsletter

Liga de FIIs

Receba em primeira mão notícias exclusivas sobre fundos imobiliários

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Ana Paula Ribeiro

Jornalista colaboradora do InfoMoney