Fundos de índices

ETFs perdem R$ 1 bilhão em junho, puxados por fundos de renda variável internacional

Teses focadas em criptoativos, tecnologia e ESG registraram as maiores perdas

Por  Katherine Rivas

Frente a um cenário de forte aversão ao risco, o volume aplicado nos ETFs (fundos de índice) pelos investidores pessoa física apresentou perdas de R$ 1 bilhão no mês passado, segundo dados do Boletim Mensal de ETFs da B3.

No mês de maio, o patrimônio da indústria aplicado pelo investidor pessoa física era de R$ 9 bilhões e recuou para R$ 8 bilhões em junho.

A participação do investidor pessoa física no volume sob custódia passou de 22,1% em maio para 20,1% em junho.

O patrimônio total do segmento de ETF somava R$ 40,1 bilhões em junho, dos quais, R$ 27,31 bilhões eram da renda variável local, R$ 7,71 bilhões de renda variável internacional e R$ 5,08 na renda fixa local.

Observando a evolução mensal do patrimônio líquido dos ETFs, a categoria que mais apresentou perdas no dinheiro aplicado – seja por resgates ou desvalorização – foram os ETFs internacionais, com destaque para ETFs de criptoativos, tecnologia e fundos que replicam índices internacionais, além de teses relacionadas ao ESG.

Na contramão, os ETFs de renda fixa tiveram leve evolução no patrimônio líquido, enquanto os de renda variável local ficaram praticamente estáveis.

Em junho, o número de investidores pessoa física na indústria de ETFs chegou a 536, levemente abaixo dos 537 mil vistos em maio.

Já o número de investidores institucionais aumentou mês contra mês, de 2.698 em maio para 2.713 atualmente.

Os três ETFs com maior número de investidores em junho foram IVVB11, que replica o índice S&P 500, com 171 mil cotistas; seguido do HASH11, ETF de criptomoedas, com 158 mil investidores; e o BOVA11, que replica o índice Ibovespa com 123 mil investidores.

Deste grupo apenas o IVVB11 perdeu cotistas mês contra mês. O ETF tinha 177 mil investidores em maio.

Entre os ETFs mais rentáveis em junho estavam teses relacionadas a China e tecnologia. A lista pode ser conferida no balanço de ETFs do InfoMoney. Entre os ETFs mais negociados no mês destacaram-se o BOVA11, o BOVV11 e o IVVB11. Confira os detalhes abaixo:

Ainda não investe no exterior? Estrategista da XP dá aula gratuita sobre como virar sócio das maiores empresas do mundo, direto do seu celular – e sem falar inglês

Compartilhe