Popularização

ETFs já movimentaram R$ 153 bilhões na Bolsa brasileira em 2021

Ao todo, são hoje 40 ETFs disponíveis para negociação do investidor pessoa física na B3, sendo 33 deles de renda variável e 7 de renda fixa

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Com os brasileiros ampliando a diversificação de suas carteiras em meio aos juros baixos, os fundos de índice (ETF) têm ganhado mais participação no mercado brasileiro, garantindo ao pequeno investidor a exposição a um grande leque de setores, índices e moedas ao redor do mundo.

De acordo com a B3, apenas neste ano foram listados 11 novos ETFs na Bolsa brasileira. Ao todo, já são 40 ETFs disponíveis para negociação do investidor pessoa física, sendo 33 deles de renda variável (20 locais e 13 internacionais) e sete de renda fixa.

Entre janeiro e maio deste ano, os ETFs movimentaram R$ 153 bilhões. Já o patrimônio dos produtos somou R$ 47 bilhões, crescimento de 23% em relação a 2020, quando o patrimônio total era de R$ 38 bilhões.

Quando analisado o número de investidores, a base passou de 269 mil, em janeiro, para 402 mil investidores em maio deste ano, crescimento de 149%.

Segundo a B3, os ETFs mais negociados em maio foram o BOVA11, o BOVV11 e o HASH11, respectivamente.

No último mês, o BOVA11, que busca replicar o Ibovespa, foi responsável por 51% das negociações de ETFs no mês, seguido pelo BOVV11, também referenciado ao Ibovespa, com 19% das negociações. Lançado no fim de abril, o ETF HASH11, referenciado no índice da Nasdaq Crypto, veio depois, com 8% das negociações no período.

Em 2019, a B3 registrou um volume médio diário de R$ 600 milhões em ETFs, montante que subiu para R$ 1,46 bilhão, em 2020, e que hoje se encontra em R$ 1,52 bilhão.

As estratégias dos melhores investidores do país e das melhores empresas da Bolsa, premiadas num ranking exclusivo: conheça os Melhores da Bolsa 2021