Conservador

Consegui juntar R$ 30 mil e quero sair da poupança; qual é a melhor opção para mim?

Ramon Gonzalez, CFP, planejador financeiro certificado pelo IBCPF, responde a pergunta de leitor do InfoMoney

Pergunta

Tenho 45 anos, sou casado e tenho um filho de 10 anos. Sempre fui muito conservador, mas agora que consegui juntar R$ 30 mil que estão na poupança há um ano eu gostaria de aplicar em algo mais agressivo e com mais rentabilidade.

Gostaria também de fazer uma aplicação para futuramente ser usada para meu filho para arcar com os gastos de uma faculdade. Poderiam me dar algumas dicas?

Leitor:  Sérgio

Resposta de Ramon Gonzalez, CFP, planejador financeiro certificado pelo IBCPF

Caro Sérgio,

Em primeiro lugar parabéns por ter conquistado essa reserva. Siga em frente que terás bons resultados lá na frente.

Embora tenha poucas informações sobre você, vou tentar auxiliar em alguns pontos. O perfil do investidor é, talvez, a mais valiosa informação na hora de escolhermos as aplicações financeiras, pois não existe exatamente a melhor aplicação. Existe sim, a melhor aplicação para o seu perfil, para o que você tolera de risco e o quanto está disposto a perder para tentar ganhar a mais em aplicações mais arriscadas ou sofisticadas.

Como você menciona que seu recurso está aplicado em Caderneta de Poupança que rende TR + 6,17% a.a. (livre de impostos) e você se diz muito conservador, sugiro irmos com cautela nessa agressividade que você busca para seu dinheiro. Acredito que há alternativas melhores que a poupança, tais como Fundos DI (você precisa procurar em seu banco ou agente financeiro um fundo que tenha no máximo 2% a.a. de taxa de administração – quanto menor, melhor!), CDB-DI ou Compromissada-DI que remunerem ao menos 75% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Essa troca já melhorará sua rentabilidade atual da caderneta, mas, lembre-se que o Fundo DI, o CDB e a COMPROMISSADA são tributados e seguem a tabela de Imposto de Renda Regressiva (consulte a tabela abaixo). Considerei que você ficaria pelo menos dois anos com o dinheiro aplicado, embora haja liquidez na maioria dessas aplicações caso você necessite resgatar.

PUBLICIDADE

Respondendo a sua segunda pergunta, onde você diz ter como objetivo arcar com as despesas da universidade de seu filho, e como ele possui apenas 10 anos de idade e deverá entrar na Universidade daqui a aproximadamente uma década, devemos e podemos buscar um pouco mais de rentabilidade. Sugiro que você procure um banco, agente financeiro ou uma corretora de valores para auxiliá-lo e que faça aplicações mensais (com disciplina e paciência), via Tesouro Direto, na NTN-B Principal (Nota do Tesouro Nacional – série B Principal) que paga uma taxa prefixada mais a variação da Inflação pelo IPCA com vencimento em 2024 e no fundo atrelado a Bolsa de Valores, denominado “BOVA11” (fundo passivo que acompanha o índice Bovespa). Proponho que 70% dessa aplicação mensal para a faculdade de seu filho seja feita na NTN-B descrita acima e os outros 30% no fundo BOVA11.

Fundos de longo prazo e aplicações de renda fixa, em geral:

  • 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias;

  • 20,0% para aplicações com prazo de 181 até 360 dias;

  • 17,5% para aplicações com prazo de 361 até 720 dias;

  • 15,0% para aplicações com prazo acima de 720 dias;

Desejo Sucesso e Boa Sorte!

Um abraço,

Ramon Gonzalez é planejador financeiro pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF). 

PUBLICIDADE

As respostas refletem as opiniões do autor. O IBCPF e o Infomoney não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

Perguntas devem ser feitas no formulário http://www.infomoney.com.br/onde-investir/infomoney-responde-formulario-pergunta