Como fazer o dinheiro trabalhar para você e ganhar mais no longo prazo

Quando se está começando o plano de investimentos, escolha aplicações com juros razoáveis, com o passar do tempo e o acúmulo de recursos, você terá mais opções de investimento

Equipe InfoMoney

Publicidade

 Texto de  Douglas Warmeling, planejador financeiro pessoal com certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros. Douglas é assessor de investimentos na Manchester Investimentos.

Antes de qualquer coisa o investidor precisa ter em mente que a construção de riqueza leva tempo, é preciso disciplina a paciência nessa caminhada. Muitos investidores são afoitos e querem construir patrimônio de uma hora para outra, costumam achar que as aplicações rendem pouco e estão sempre a procura de algo que rende mais.

Quando se está começando o plano de investimentos, escolha aplicações com juros razoáveis, com o passar do tempo e o acúmulo de recursos, você terá mais opções de investimentos e poderá montar uma carteira mais diversificada e com taxas melhores, mas é preciso ter atitude para sair da zona de conforto quando se chega nesse patamar. Muitos investidores tendem a se acomodar, sendo resistentes a mudança, e acabam acumulando um grande patrimônio em uma única aplicação (poupança ou CDB). O que deve ser evitado é a mudança contínua no tipo de investimento, por exemplo, sair da renda fixa para a renda variável, ficar por pouco tempo e voltar para a renda fixa, isso tende a ser ruim para o investidor no longo prazo, devido principalmente aos impostos envolvidos nas aplicações.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

Para que a formação de patrimônio através de investimentos financeiros seja bem sucedida, é preciso que o investidor busque alternativas que paguem juros compostos a longo do tempo, que é aquele investimento onde não somente o principal rende, mas também os rendimentos são reaplicados e remunerados, isso trará uma alavancagem proporcionando assim, maior ganho.

Tenha cuidado para não adquirir dívidas na formação de patrimônio. Financiamentos por exemplo, tendem a tornar o processo lento e caro (salvo algumas exceções), em geral a melhor opção é sempre evitar o pagamento de juros. Quanto menos juros se paga, mais se pode investir e nesse momento você inverte o processo, ao invés de estar pagando juros, estará recebendo e isso alavanca o capital.

Nas aplicações financeiras para obtenção de maior rentabilidade é necessário abrir mão da liquidez e/ou aumentar a volatilidade do investimento. É sempre possível montar uma carteira equilibrada onde se consiga uma boa relação entre retorno, liquidez e volatilidade. Em uma economia estável e madura, é consenso que será possível rentabilidade entre 3,5% e 4,0% acima da inflação, porém algumas vezes haverá oportunidade de retorno maior, e o investidor deve aproveitar bem esse momento.

Continua depois da publicidade

Entre as aplicações, é interessante ter investimentos em ativos atrelados a inflação, como debêntures e títulos públicos. Em alguns momentos, títulos pré-fixados podem ser boa oportunidade de garantir um rendimento por um período pré determinado. Para quem gosta de ativos atrelados ao CDI, as opções isentas de IR como LCI e LCA, tem retorno atrativo. No longo prazo é sempre recomendado manter uma fração dos investimentos em renda variável.

Enfim o mercado tem muitas opções e não existe uma opção melhor ou pior, o que existe é uma opção adequada ao perfil de cada investidor, para isso converse com o seu planejador financeiro.

 O texto reflete as opiniões do autor. O Infomoney não se responsabiliza pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

Gostou das explicações? Tem mais dúvidas sobre investimentos e planejamento financeiro? Mande um e-mail para o Douglas: douglas@manchesterinvest.com.br