Mudança de rumo?

BofA recomenda vender ativos de risco em meio a forte otimismo do mercado

Visão positiva de gestores que administram US$ 526 bilhões está no maior nível do ano, após eleições nos EUA e avanços de vacina contra a Covid

Aprenda a investir na bolsa

(Bloomberg) — O otimismo de gestores que administram US$ 526 bilhões está no maior nível deste ano, após o resultado das eleições nos EUA e avanços da vacina contra a Covid. Com isso, estrategistas do Bank of America dizem que é hora de começar a vender ativos de risco.

A pesquisa mensal, realizada de 6 a 12 de novembro, registrou forte aumento do otimismo de investidores em relação às ações. A alocação no segmento aumentou para o nível mais alto desde janeiro de 2018.

Posições em dinheiro caíram para o patamar mais baixo desde abril de 2015, enquanto as expectativas de crescimento econômico subiram para o nível mais alto em 20 anos. Investidores compraram ativos mais voláteis, como de pequena capitalização, de valor, bancos e ações de mercados emergentes, enquanto se afastaram de títulos e do segmento de consumo básico.

Aprenda a investir na bolsa

A pesquisa do BofA confirma o bom humor do mercado desde que Joe Biden venceu a corrida presidencial dos EUA e depois de resultados promissores para uma vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Pfizer e BioNTech, que aumentaram o apetite por ações no mundo todo. Mas, com o S&P 500 em nível recorde, gestores enfrentam um momento de acerto de contas entre realizar lucros ou permanecerem investidos para talvez obter ainda mais retornos.

“A rotação da reabertura pode continuar no quarto trimestre, mas dizemos ‘venda a vacina’ nas próximas semanas ou meses, pois achamos que estamos perto do ‘full bull’”, disseram estrategistas do BofA liderados por Michael Hartnett em relatório na terça-feira, em referência ao pico do mercado altista.

Melhores da Bolsa 2020
Cadastre-se gratuitamente para participar do encontro entre os CEOs das melhores empresas listadas na Bolsa e gestores de grandes fundos, entre os dias 24 e 26 de novembro:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

As alocações em ações em novembro subiram para uma posição líquida de 46% overweight, perto de “altista extremo”, de acordo com o BofA. Hedge funds também mantiveram alta exposição às ações, em 41%.

Entre os investidores pesquisados, 91% esperam que a economia se fortaleça nos próximos 12 meses, e 66% acreditam que o crescimento global está em uma fase de ciclo inicial, em oposição a uma recessão. A última vez que gestores estavam tão otimistas sobre as expectativas de lucros globais foi em 2002.

Embora a segunda onda de Covid-19 continue sendo o maior risco de cauda, os gestores pesquisados pelo BofA agora esperam que uma vacina contra o vírus confiável seja anunciada em meados de janeiro de 2021, em comparação com as apostas do mês passado que indicavam meados de fevereiro. A pesquisa global do BofA incluiu 190 gestores.

Entre ativos que investidores esperam desempenho positivo no próximo ano, mercados emergentes, o índice S&P 500 e o petróleo lideram a lista.

PUBLICIDADE

A exposição aos mercados emergentes está aumentando: 36% dos investidores estão overweight em ações emergentes, o que torna a região a preferida da pesquisa, enquanto a maior proporção dos pesquisados já registrada disse que as moedas de mercados emergentes estão subvalorizadas.

O lado desconhecido das opções: treinamento gratuito do InfoMoney ensina a transformar ativo em fonte recorrente de ganhos – assista!