Conteúdo editorial apoiado por

Bayer diz que não sabia de problema com nova droga antes de vender US$ 5,75 bi em bonds

Ações desabaram nesta semana após estudo ser interrompido – dias antes, investidores compraram US$ 5,75 bi em dívida da empresa

Equipe InfoMoney

(Bloomberg)

Publicidade

A Bayer disse nesta quinta-feira (23) que não conhecia os resultados de seu teste com medicamentos para diluir o sangue, que foi interrompido esta semana devido à falta de eficácia, antes de vender US$ 5,75 bilhões em títulos de longo prazo a investidores.

Os títulos foram precificados na quinta-feira (16) e, na segunda (20), veio à tona o resultado decepcionante do estudo que testou o medicamento antitrombótico Asundexian. Em reação, as ações da empresa despencaram na Europa, fazendo-a perder cerca de 7,6 mil milhões de euros em valor de mercado.

Desde então, a companhia também vem enfrentando questionamentos de investidores e analistas, que perguntam se ela tinha conhecimento do resultado do estudo antes de vender os bonds, que têm vencimento em 30 anos.

Oferta Exclusiva para Novos Clientes

Jaqueta XP NFL

Garanta em 3 passos a sua jaqueta e vista a emoção do futebol americano

“Os resultados do estudo da Oceanic sobre o Asundexian ainda não estavam disponíveis quando o preço do título foi precificado na quinta-feira”, disse um porta-voz da Bayer por e-mail. “Todas as informações e riscos relevantes foram incluídos no prospecto do título.”

Desde que os títulos foram comercializados na semana passada, os papéis caíram até 1,6% e o spread aumentou 25 pontos-base em relação aos títulos do Tesouro dos EUA, segundo dados da Trace.

A Bayer conversou com investidores depois de interromper o estudo do medicamento, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

“Não é de surpreender que a enorme perda com testes e a descontinuação de um dos medicamentos mais promissores da Bayer em seu plano de trabalho tenham tido um efeito profundo sobre seus investidores”, disseram os analistas da CreditSights, Andrew Brady e Jarah Cotton, em nota publicada na quarta-feira (22), “Os investidores estão sofrendo com a colocação de títulos de US$ 5,75 bilhões.”

Além do revés no desenvolvimento de medicamentos, os papéis da Bayer estão sofrendo após uma decisão judicial sobre o herbicida Roundup ter aumentado o risco de a empresa ter de recorrer à totalidade, ou talvez até mais, da reserva de 16 bilhões de dólares reservada para ações judiciais. O Roundup é um pesticida desenvolvido pela Monsanto, empresa brasileira adquirida pela Bayer em 2018.

(Com Bloomberg)

Newsletter

Quer aprender a investir – e lucrar – no exterior?

Inscreva-se na newsletter do InfoMoney para receber informações sobre tributação, procedimentos de envio e sugestões de alocação para seu dinheiro lá fora. É de graça!

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.