Perfil do investidor brasileiro

Anbima: Sem reserva para crise, menos da metade dos brasileiros investia ao fim de 2019

Embora venha perdendo espaço, a caderneta de poupança segue na liderança no leque de opções à disposição, com 84,2% das preferências

SÃO PAULO – Cerca de 42 milhões de brasileiros tinham algum tipo de aplicação no mercado em 2019, segundo dados da terceira edição da pesquisa “Raio X do Investidor Brasileiro”, realizada pela Anbima em parceria com o Datafolha.

Apesar do número expressivo, em uma análise relativa, o resultado da pesquisa mostra que menos da metade (44%) da população do país tinha algum saldo aplicado em produtos de investimento no ano passado.

O número mostra um pequeno aumento na comparação com os dois anos anteriores, quando 42% aplicavam em produtos de investimento.

Fonte: Anbima

De longe, a caderneta de poupança continua detendo a preferência dos brasileiros dentre os produtos financeiros à disposição considerados pela Anbima no levantamento, sendo destino de 84,2% dos investidores, ainda que venha perdendo espaço – em 2018, a opção era a preferida de 88% dos consultados e, em 2017, de 89%.

Os fundos de investimento, por sua vez, respondem pela segunda posição. O produto, entretanto, tem uma parcela ainda pequena das escolhas, embora esteja gradualmente ganhando espaço, saindo de 4% das preferências dos investidores, em 2017, para 6%, em 2019.

anbima1.jpg (985×412)
Fonte: Anbima

Quanto ao horizonte de investimento, a pesquisa mostrou que o prazo médio de aplicação dos investidores é de dez anos, permanecendo estável em relação aos resultados de 2018.

Segundo análise da Anbima, os resultados permitem duas leituras. O copo “meio cheio”, que indica o aumento no hábito dos brasileiros em investir; ou “meio vazio”, ao apontar que ainda há mais pessoas que não investem do que investidores no Brasil. “A reversão desse cenário está em curso, mas o processo é lento e gradual”, diz a associação.

A pesquisa mostrou que o cenário de juros baixos tem motivado um crescimento gradual de busca por maior retorno financeiro. Em 2018, foram 19% os entrevistados que afirmaram que sua disposição de investir foi impactada por esse tema, três pontos percentuais abaixo dos resultados de 2019.

Para esta edição da pesquisa, o Datafolha entrevistou, entre 4 e 13 de novembro de 2019, 3.433 brasileiros de 149 municípios, com 16 anos de idade ou mais, das classes A, B e C.

Hábitos de consumo

Os resultados não incluem, portanto, o período de isolamento social, que certamente traria informações diferentes sobre alguns pontos do estudo.

A pesquisa mostrou, por exemplo, que a busca por informações sobre produtos financeiros de maneira presencial ainda é a mais utilizada no país, conforme 40% dos entrevistados.

Apesar de ainda ser a opção preferida, o cafezinho com o gerente vem aos poucos perdendo espaço – em 2018, era a preferência de 42% dos investidores.

Com isso, outras fontes de informação começam a se destacar. O acesso a sites de notícias, blogs e fóruns especializados em finanças e investimentos foi citado por 32% dos investidores em 2019, um crescimento de quatro pontos percentuais em relação a 2018.

Quanto aos meios utilizados para fazer as aplicações financeiras, a visita ao gerente do banco segue na liderança, com 71% do total, sem grandes alterações em relação à pesquisa anterior.

Em seguida, com 30% e 13%, aparecem o aplicativo e o site do banco, respectivamente, também sem variação relevante ante o ano anterior.

Reserva financeira

A pesquisa mostrou também que, no ano passado, 38% dos brasileiros economizaram algum valor, representando um aumento de cinco pontos percentuais em relação aos 33% de 2018.

Entre os 38% que economizaram, a maior parte (42% desse universo) aplicou o dinheiro em produtos financeiros, como títulos públicos, poupança ou ações, enquanto 8% optaram pela aquisição de bens móveis, como carros e motos.

O percentual dos que investiram em produtos financeiros está em linha com os patamares de 2017, mas indica uma queda de seis pontos percentuais em relação aos 48% de 2018.

Segundo a Anbima, grande parte dos brasileiros (66%) que aplicaram seu dinheiro em produtos financeiros em 2019 incrementaram uma aplicação financeira que já possuíam em anos anteriores.

Invista na carreira mais promissora dos próximos 10 anos: aprenda a trabalhar no mercado financeiro em um curso gratuito do InfoMoney!