Em onde-investir / acoes

Como comprar ações do Facebook; passo a passo para investir

Veja o que considerar ao comprar ações do Facebook, maior rede social do mundo, com mais de 2 bilhões de usuários acessando diariamente ao menos uma das suas plataformas 

Facebook
(Shutterstock)

Fundada em 2004 por Mark Zuckerberg e mais três sócios, o Facebook se tornou um ícone dos novos tempos da internet. Com mais de 2 bilhões de usuários acessando diariamente uma das suas plataformas - que incluem Instagram, WhatsApp e Messenger - é a maior rede social do mundo. Comprar ações do Facebook é uma forma de acompanhar o desempenho de uma das mais importantes empresas de tecnologia da atualidade.

O que considerar antes de comprar 

O Facebook estreou no mercado acionário em 2012, com uma das maiores ofertas públicas iniciais (IPO, na sigla em inglês) da história da Nasdaq, bolsa americana em que a empresa está listada. Com os papéis precificados em US$ 38 na época, a empresa levantou US$ 16 bilhões e foi avaliada em US$ 104 bilhões.

De lá para cá, o Facebook multiplicou seu tamanho e seu alcance muitas vezes. Negociadas sob o código “FB”, as ações valem cerca de US$ 190. Ao avaliar o investimento na empresa, no entanto, é preciso considerar alguns aspectos. Dois deles seguem abaixo:

Escândalos de privacidade afetam o Facebook

Assim como outras gigantes de tecnologia, o Facebook vem enfrentando uma série de questionamentos por conta das suas atividades. No caso da empresa de Zuckerberg, um dos escândalos mais importantes foi revelado em 2018. Dados que supostamente seriam usados em uma pesquisa universitária acabaram capturados pela Cambridge Analytica, que trabalhou na campanha de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos.

Alexander Kogan, da Universidade de Cambridge e ligado à Cambridge Analytica, criou um aplicativo usado para coletar informações na rede social. Ele foi baixado por cerca de 270 mil pessoas, mas teve acesso a dados de 50 milhões de perfis. Isso porque quem fazia download acabava dando acesso a suas listas de amigos.

Uma semana após a revelação, o Facebook já havia perdido cerca de US$ 50 bilhões em valor de mercado. Casos desse tipo ajudam a entender a variação do tamanho da empresa nos últimos anos, como demonstra o gráfico:

Em julho de 2019, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ, na sigla em inglês) abriu uma investigação sobre as maiores empresas de tecnologia do país - além do Facebook, também Google, Amazon e Apple. O objetivo era entender se elas atuam de forma ilegal para prejudicar a competição. Suas práticas estão sendo analisadas, para identificar como elas atingiram o nível de poder e o tamanho que ostentam atualmente.

Operação é forte, mas lucro do Facebook sofre com multas

Embora mantenha resultados operacionais fortes, casos como o da Cambridge Analytica já começam a pesar no balanço do Facebook. No primeiro trimestre de 2019, a empresa havia feito uma provisão de US$ 3 bilhões no balanço, diante do risco de receber multas. Por isso, mesmo com uma receita 26% maior do que no ano anterior, o lucro no período caiu pela metade.

Em julho de 2019, a ameaça se concretizou: o Facebook foi multado em US$ 5 bilhões pela Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês). Foi a maior multa imposta para qualquer empresa por violar a privacidade de seus consumidores e quase 20 vezes maior que a maior multa aplicada em todo mundo relacionada à segurança e privacidade de dados.

As provisões, novamente, causaram um pesado impacto nos resultados da empresa. O lucro no segundo trimestre de 2019 também foi metade do registrado no mesmo período do ano anterior - muito embora a receita tenha aumentado 28% na mesma comparação. 

Ainda que registre lucros bilionários, o Facebook tem por política não distribuir dividendos aos acionistas, assim como fazem outras empresas do setor de tecnologia.

Passo a passo para investir no Facebook

Existem duas formas principais de comprar ações do Facebook: diretamente na Nasdaq ou por meio dos BDRs negociados na B3. Os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) são certificados que representam papéis emitidos por empresas no exterior, mas negociados no pregão local. 

Os certificados de ações do Facebook estão entre dez os papéis estrangeiros mais negociados bolsa brasileira, com 2,85% das operações realizadas com BDRs entre janeiro e maio de 2019. Eles são identificados pelo código “FBOK34”.

Cada papel do Facebook lá fora dá origem a dois recibos no Brasil. No início de agosto de 2019, os BDRs da empresa estavam cotados a cerca de US$ 370.

Há diferenças importantes dos procedimentos para comprar os BDRs na B3 ou aplicar diretamente na Nasdaq. Confira quais:

Na bolsa brasileira (B3)

Para comprar BDRs do Facebook, é necessário abrir uma conta em uma corretora. Essa também é a primeira exigência para quem quer investir em ações brasileiras. São as corretoras que enviam as ordens de compra e venda dos investidores para a bolsa. Existem mais de 80 autorizadas a operar no pregão.

É importante avaliar as taxas de corretagem para só então escolher uma das instituições. Esse valor - que pode ser fixo, em reais, ou um percentual sobre a operação - é cobrado em cada compra ou venda de ações ou BDRs. Poucas corretoras que não fazem essa cobrança, e a Clear é uma delas.

O passo seguinte é mandar dinheiro para nova conta na corretora, por meio de uma transferência (TED ou DOC) a partir do banco do investidor. Depois, é necessário acessar o home broker - sistema de negociação online - ou contatar a mesa de operações pelo telefone para passar as ordens, que devem especificar a quantidade e o preço das ações.

Na bolsa americana (Nasdaq)

Diretamente na Nasdaq, investir no Facebook exige abrir uma conta em uma instituição financeira internacional. O envio de documentos e outras comprovações é relativamente simples em várias delas.

Com a conta aberta, é preciso depositar dinheiro nela, por meio de uma transferência internacional. Esse procedimento demanda uma remessa, por meio dos serviços de um banco ou corretora de câmbio autorizada pelo Banco Central.

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incide sobre as remessas internacionais, a uma alíquota de 0,38%. A transferência normalmente também envolve o pagamento de tarifas à instituição financeira. Para o fechamento do câmbio, a referência para a operação costuma ser o dólar comercial, mais um valor adicional. Depois que o dinheiro cair na conta, é só começar a operar.

O pagamento de Imposto de Renda mensal é feito no Brasil, com um Darf (documento de arrecadação de receitas federais). A alíquota é de 15% sobre o ganho para volumes de até US$ 1 milhão, para quem aplica como pessoa física nos Estados Unidos. Mas a taxação chega a 30% em valores acima de US$ 20 milhões. A variação cambial é considerada, já que a apuração dos ganhos é finalizada em reais.

Invista em ações com taxa ZERO de corretagem: abra uma conta gratuita na Clear!

 

Contato