Em onde-investir / acoes

Transferência de Custódia: como migrar ações para se livrar da corretagem

A taxa de corretagem cobrada pelos bancos faz com que o investidor perca grande parte de seu capital investido. Veja como fazer a transferência de custódia dos bancos para corretoras.

Bolsa de valores
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Não é novidade que manter o dinheiro nos bancos é uma péssima estratégia para os investidores: uma reportagem do InfoMoney deste mês mostrou que 1,4 milhão de brasileiros aplica seu dinheiro em investimentos que dão mais lucro para os bancos do que para si mesmas.

Esse número se aplica somente aos fundos DI e de curto prazo, mas isso não significa que os demais investimentos oferecidos pelos bancos são vantajosos para os clientes - muito pelo contrário.

No geral, os produtos oferecidos atendem às necessidades do próprio banco e oferecem rentabilidade baixa para o cliente, além de cobrança de taxas e exigência alta de investimento mínimo.

O mesmo vale para o investimento em ações. As corretoras de investimentos dos grandes bancos cobram, além das taxas padrão de liquidação, emolumentos e impostos (ISS/PIS/Cofins), a taxa de corretagem -- que chega a ser de R$ 20 por ordem, no caso do Banco do Brasil, por exemplo.

E mais: em algumas instituições, essa taxa varia de acordo com o valor da ordem. O próprio Banco do Brasil cobra R$ 20 para ordens de até R$ 100.000; se o valor excede esse limite, são cobrados R$ 20 a cada múltiplo de R$ 100 mil ou fração do volume financeiro negociado.

A cobrança está relacionada à intermediação do envio de uma ordem para a Bolsa de valores e tem grande impacto no lucro do investidor, visto que ele perde parte do capital investido no pagamento da taxa, ainda mais quando a taxa é variável.

Os bancos também costumam cobrar taxa de custódia, que também pode ser fixa ou variável. No Itaú, a taxa cobrada é fixa de R$ 15,80 ao mês, enquanto no Santander e no Banco do Brasil ela é variável e chega a 0,0130% ao mês.

No entanto, existem corretoras como a XP, Rico e Clear, que não cobram taxa de custódia. Além disso, a Clear anunciou na última semana a taxa zero de corretagem para investimento em ações

E o melhor é que se você migrar de corretora não precisa vender as ações para recomprá-las: o processo para transferir a custódia para outra corretora é simples e rápido.

Confira, a seguir, o passo-a-passo para fazer a transferência de custódia sem custo.

1- Abra uma conta na corretora em que deseja investir seu dinheiro.

2- Faça o download do documento de Solicitação de Transferência de Valores Mobiliários.
Cada corretora disponibiliza o seu e ele deve ser baixado no site da instituição. Ele deverá ser preenchido com informações sobre a conta na corretora de origem (cedente) e a conta da corretora de destino (cessionário) e os ativos a serem transferidas, especificando a sigla da ação, o tipo, quantidade e preço de custo.

3- Uma vez que o preenchimento é finalizado, o investidor deverá fazer o reconhecimento de firma por autenticidade em cartório. É importante apontar que a conta na nova corretora é da mesma titularidade.

4- Consulte sua corretora de origem para saber como o documento de solicitação deverá ser enviado à nova corretora. Uma vez que ele for enviado, basta esperar o procedimento ser finalizado.

A hora de investir em ações é agora: abra sua conta na Clear com taxa ZERO de corretagem!

Vale ressaltar que não há cobrança de imposto de renda e nem de corretagem, já que o investidor não está se desfazendo das ações.

Além disso, dividendos e juros sobre capital próprio que já tenham sido pagos pelas empresas em que investe não são transferidos automaticamente para a nova corretora -- sua transferência também terá que se solicitada.

 

Tudo sobre:  Ações  

Contato