Em onde-investir / acoes

Escalada de dividendos: nova política da Cielo é "atraente" para investidores

A empresa anunciou o pagamento de R$ 3,5 bilhões em proventos aos acionistas, divididos em R$ 1,4 bilhão em dividendos e R$ 312,5 milhões em JCP

Cielo 02 - Maquininha de cartão
(Divulgação Cielo)

SÃO PAULO - A Cielo (CIEL3) pode ter deixado alguns investidores descontentes com o desempenho no segundo trimestre, o que ficou evidente com a queda de 9,75% no último pregão e de -36,23% no ano, mas a distribuição de dividendos pode dar um alento aos acionistas que amargam perda significativa. Desde suas máximas, em janeiro deste ano, o papel acumula perdas de 46%. 

Além da queda na receita, lucro e participação no mercado, a empresa anunciou nesta semana o pagamento de R$ 3,5 bilhões em proventos aos acionistas, sendo R$ 1,75 bilhão a ser pago no dia 28 de setembro, dividido em R$ 1,4 bilhão em dividendos e R$ 312,5 milhões em juros sobre capital próprio. 

Quem aproveitou a queda de 9,75% das ações na terça-feira (31) para comprar embolsará um lucro proporcionalmente maior ao valor das ações. O dividendo a ser pago por ativo foi estimado em R$ 0,529505035, o equivalente a 3,69% do valor do ativo no fechamento de ontem, em R$ 14,35, na mínima para o papel desde setembro de 2013. 

"A nova política de dividendos parece atraente, embora o ambiente competitivo continue difícil", avaliam os analistas do Bradesco BBI. Eles destacam ainda o fato de que os dividendos serão pagos em valores fixos, "possivelmente atuando como um piso para o preço das ações nos próximos trimestres".

A companhia pagará ainda R$ 875 milhões no primeiro trimestre e R$ 875 milhões no segundo trimestre de 2019. A Cielo informou ainda que irá alterar a periodicidade de pagamentos de proventos, de semestral para trimestral. O pagamento será feito com base na posição acionária de 14 de setembro.

A estratégia de investir em ações de olho nos dividendos deve ser de longo prazo. Se o investidor acredita no potencial de longo prazo da Cielo, pode ser uma boa opção tê-la em seu portfólio. O dividend yield da companhia deve sair de 6,3% em 2017 para 6,4% neste ano e seguir em uma escalada até 10,1% em 2021, conforme projeções dos analistas do Itaú BBA. O aumento na proporção da distribuição entre o ocorrido no ano passado e o esperado para 2021 é de 60,3%. 

Quer investir pagando apenas R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear.

 

Contato