Recordes

Sem Michael Phelps, Caleb Dressel e Emma McKeon brilham na natação em Tóquio

Dressel se tornou o quinto nadador da história a conquistar pelo menos 5 medalhas de ouro em uma mesma Olimpíada; já Emma levou ouro em 2 provas individuais

arrow_forwardMais sobre
Caeleb Dressel, nadador americano (FINA/Instagram)
Caeleb Dressel, nadador americano (FINA/Instagram)

Na primeira Olimpíada desde Pequim-2004 sem a presença de Michael Phelps, o maior ganhador de medalhas olímpicas da história com 23 ouros, três pratas e dois bronzes, os holofotes da natação ficaram divididos entre o americano Caleb Dressel, que subiu ao lugar mais alto do pódio cinco vezes em Tóquio, e a australiana Emma McKeon, que igualou o feito da ginasta soviética Maria Gorokhovskaya em Helsinque-1952, ao ganhar sete medalhas numa mesma edição de Jogos.

Com apenas 24 anos, Caleb Dressel disputou os Jogos Olímpicos pela segunda vez. No Rio, com apenas 19, ficou em sexto lugar nos 100 m livre e fez parte dos revezamentos 4 x 100 m livre e 4 x 100 m medley dos Estados Unidos que conquistaram a medalha de ouro. Em Tóquio, mais maduro como atleta, o americano colocou no peito cinco ouros. Repetiu o feito nos revezamentos como em 2016, mas ganhou também os 50 m livre, os 100 m livre e os 100 m borboleta.

“Estou orgulhoso de mim mesmo. Acho que alcancei todo o meu potencial nesses Jogos. Foi muito divertido competir aqui e eu não mudaria uma coisa sequer. Depois que uma competição termina, é claro que fico feliz, mas também fiquei muito feliz enquanto estava acontecendo. Foi muito especial também terminar com a vitória no revezamento como nós fizemos”, afirmou o americano.

Caleb Dressel se tornou o quinto nadador da história a conquistar pelo menos cinco medalhas de ouro em uma mesma Olimpíada, entrando no mesmo hall de estrelas do esporte como Michael Phelps (oito em 2008, seis em 2004 e cinco em 2016), Mark Spitz (sete em 1972), Kristin Otto (seis em 1988) e Matt Biondi (cinco em 1988).

Emma Mckeon, nadadora australiana (Instagram/Reprodução)
Emma Mckeon, nadadora australiana (Instagram/Reprodução)

Já a australiana Emma McKeon, de 27 anos, também disputou sua segunda Olimpíada. No Rio, cinco anos antes, ela ganhou quatro medalhas: ouro no revezamento 4 x 100 m livre, prata no 4 x 200 m livre e no 4 x 100 m medley e bronze nos 200 m livre, seu único pódio individual.

Nos Jogos de Tóquio, ela brilhou ao levar o ouro em duas provas individuais: 50 e 100 m livre. Além disso, venceu os revezamentos 4 x 100 m livre e medley e foi medalha de bronze nos 100 m borboleta, no 4 x 100 m medley misto e no 4 x 200 m livre.

Após ganhar os 100 m livre, seu primeiro ouro individual, Emma McKeon parecia incrédula. “Eu ainda não posso acreditar que eu ganhei a medalha de ouro. As emoções vão vir quando eu realmente voltar para a Austrália. Eu nunca tinha vencido provas individuais olímpicas ou mundiais”.

No último dia de provas da natação, no domingo, Emma McKeon completou sua Olimpíada de glória com o ouro nos 50 m livre. “Eu nunca pensei que podia ganhar duas medalhas de ouro em uma edição dos Jogos. Eu estou muito feliz. Isso é muito surreal. O programa da natação de Tóquio aconteceu muito rápido. Estou muito feliz como tudo aconteceu”, finalizou.

Com uma boa ajuda de Emma McKeon, a Austrália ganhou nove ouros na natação pela primeira vez na história, superando a marca obtida pelo país, de oito conquistas, em Melbourne-1956. “Isso também é muito surreal. Isso é uma honra porque eu sei que trabalhamos pesado para isso”.

PUBLICIDADE

Transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos é possível. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.