XP fecha parceria com a B&T, corretora de câmbio que movimenta R$ 7 bi por ano

É a primeira parceria da XP para expandir um negócio de transação cambial; B&T conta hoje com um milhão de clientes

Equipe InfoMoney

Bruno Ballista, sócio e head de assessoria e relacionamento com cliente da XP Inc. (Foto: Leonardo Rodrigues)
Bruno Ballista, sócio e head de assessoria e relacionamento com cliente da XP Inc. (Foto: Leonardo Rodrigues)

Publicidade

A XP Inc. (XPBR31) e a B&T Câmbio, uma das principais corretoras de câmbio do país, anunciaram, nesta terça-feira (11), parceria que tem como objetivo ampliar a gama de serviços oferecidos aos clientes das empresas.

“Já havíamos fechado negócio com empresas de seguro, administradora de recursos, escritórios de assessoria de investimentos e gestoras, mas é a primeira vez que realizamos uma operação para expandir um negócio de transação cambial”, detalha Bruno Ballista, sócio e head de assessoria e relacionamento com o cliente XP.

Com mais de 30 anos de atuação, a B&T está inserida no mercado de câmbio comercial e turismo cobrindo 189 países. A empresa movimenta mais de R$ 7 bilhões em operações próprias e mais de R$ 35 bilhões em operações de câmbio intermediadas por ano.

Continua depois da publicidade

De acordo com Ballista, a parceria não envolve participação societária e representa um passo importante para ambos os negócios.

“Para a XP, é uma oportunidade de potencializar a oferta de serviços de câmbio no portfólio de soluções e atender as demais necessidades dos mais de um milhão de clientes do parceiro”, contextualiza. “Para a B&T, a colaboração significa uma renovação completa do seu modelo de negócios, ampliando a oferta em produtos e serviços financeiros com a mais alta qualidade”, completa.

Na prática, o acordo permitirá que a B&T garanta uma variedade de soluções para pessoa física e jurídica, que vai desde investimento, conta e cartão global, até previdência, seguros e crédito.

Continua depois da publicidade


“Com a chancela da XP, a B&T ganha um poder de marca significativo, tornando-se mais relevante e competitiva”, afirma Caio Raiza, head de novos negócios da XP. “Estamos proporcionando um grande diferencial de mercado para a operação que, enquanto monoproduto, já tem muita credibilidade pela eficiência e qualidade dos serviços”, pontua.

Nos próximos meses, a B&T pretende ir a mercado em busca de profissionais e calcula elevar em 20% a equipe comercial em 2024. 

“Como corretora de câmbio, temos a limitação de realizar operações próprias até US$ 300 mil”, destaca Tulio Portella, chief commercial officer do Grupo B&T e responsável pela negociação da parceria. “Dentro da estrutura e governança da XP, não teremos essa restrição, podendo atender de forma mais completa os clientes que já utilizam nossos serviços, além de poder oferecer toda a gama de produtos e serviços do grupo XP”, completa.  

Continua depois da publicidade

Na percepção de Tulio Santos, presidente do Grupo B&T, essa união de expertises será traduzida em mais fusões e aquisições no mercado de câmbio.

“Empresas que até aqui se estabeleceram como intermediadoras de operações precisam reavaliar seus modelos de negócio”, diz. “As corretoras da forma que existem hoje, fazendo apenas intermediação entre cliente e banco, vão desaparecer. A tendência é que se tornem instituições completas para compra e venda de moeda estrangeira”, analisa.

Com a nova configuração, os executivos da B&T Câmbio esperam que mais de 80% das operações de câmbio da companhia sejam realizadas via XP já nos dois primeiros anos de parceria.