Em negocios / startups

Número de investidores anjos no País cresceu 18%

A quantidade de pessoas físicas que aplicaram recursos e conhecimento em empresas iniciantes, as chamadas startups, chegou a 6.300

Cassio Spina
(divulgação)

SÃO PAULO - O número de investidores anjos aumentou no Brasil. Segundo uma pesquisa realizada ela organização Anjos do Brasil, a quantidade de pessoas físicas que aplicaram recursos e conhecimento em empresas iniciantes, as chamadas startups, passou de 5.300 para 6.300, ou seja, alta de 18%.

Segundo os dados, a maioria destes investidores, cerca de 80%, é apenas receptivos, isto é, aplicam somente quando são procurados por empreendedores.

Capital
O estudo indica ainda que o volume de capital total investido também cresceu em 10%, passando de R$ 450 milhões para R$ 495 milhões.

O crescimento do volume de capital foi inferior ao número de investidores anjo em função da valor médio investido ter sido reduzido em aproximadamente 7%, passando de R$ 85 mil para R$ 79 mil o que é justificado por novos investidores normalmente aplicarem menos recursos, pois ainda estão na fase de aprendizado.

Para o presidente da Anjos do Brasil, Cassio Spina, o Brasil deveria ter um potencial de incremento percentual maior que os EUA, que foi de 20%, já que o País ainda está fase de desenvolvimento do setor, entretanto, existem duas barreiras significativas. A primeira é a falta de conhecimento. O investimento anjo ainda é novo no Brasil e assim está sendo descoberto por potenciais investidores.

A segunda é é a falta de proteção e estimulo para investidores. Ele explica que o investidor anjo está disposto a tomar o risco da perda do capital investido em função de um potencial maior retorno, entretanto, devido a falta de regulamentação da descaracterização da personalidade jurídica das empresas leva ao risco potencial adicional de além de perder seu investimento.

 

Contato