Samsung estenderá cortes de produção após prejuízo de US$ 7 bi em chips no 1º semestre

A desaceleração econômica global e as altas taxas de juros reduziram a demanda pela maioria dos bens de consumo após um boom impulsionado pela pandemia

Reuters

The main entrance of the Samsung Electronics Co. headquarters in Suwon, South Korea, on Tuesday, June 13, 2023. Samsung Electronics will unveil its next generation foldable devices at the Galaxy Unpacked event in late July in Seoul.

Publicidade

SEUL (Reuters) – A Samsung Electronics disse nesta quinta-feira que o pior já passou para o mercado global de chips de memória, mas anunciou planos para estender cortes de produção porque a recuperação da demanda está amplamente limitada a microprocessadores usados em aplicações de inteligência artificial.

A decisão ressalta a desaceleração sem precedentes no mercado de semicondutores, que levou a empresa sul-coreana a incorrer em um prejuízo operacional recorde de 8,9 trilhões de wons (7 bilhões de dólares) na divisão de semicondutores nos primeiros seis meses deste ano.

É provável que o negócio continue no vermelho no trimestre atual, embora o prejuízo deverá cair quase pela metade, para 2,3 trilhões de wons, em relação ao segundo trimestre, de acordo com 22 analistas consultados pela Refinitiv.

Continua depois da publicidade

A desaceleração econômica global e as altas taxas de juros reduziram a demanda pela maioria dos bens de consumo após um boom impulsionado pela pandemia.

“É provável que os cortes de produção em todo o setor continuem no segundo semestre, e espera-se que a demanda se recupere gradualmente à medida que os clientes continuem a consumir estoques (de chips)”, disse a Samsung, a maior fabricante de chips de memória do mundo, em um comunicado.

Jaejune Kim, vice-presidente executivo do negócio de memória da Samsung, disse em teleconferência de resultados que a empresa vai prorrogar cortes de produção e fará ajustes adicionais em determinados produtos, incluindo chips flash NAND.

O executivo não revelou a extensão dos cortes de produção da Samsung, mas observou que os estoques de chips de memória da empresa diminuíram rapidamente após um pico em maio.

Os comentários aliviaram as preocupações com excesso de oferta de chips e impulsionaram as ações da Samsung em 2%, enquanto as ações da rival menor SK Hynix saltaram 9%, atingindo o nível mais alto desde março de 2022.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

A divisão de chips da Samsung teve um prejuízo operacional de 4,36 trilhões de wons no trimestre de abril a junho, em comparação com um lucro de 9,98 trilhões no ano anterior.

As perdas diminuíram ligeiramente em relação aos 4,58 trilhões de wons do primeiro trimestre devido à forte demanda de chips de memória para aplicações de IA, o que levou a vendas maiores do que o esperado de chips DRAM.

No entanto, a Samsung está tentando recuperar o atraso em relação à SK Hynix, que está mais bem preparada para a demanda de chips impulsionados pela IA e lidera o mercado de chips DRAM de ponta, como memória de alta largura de banda (HBM) e produtos DDR5 premium usados em aplicações de  IA, disseram analistas.

A Samsung disse nesta quinta-feira que tem pedidos de mais de 1,5 bilhão de gigabytes de produtos HBM este ano – o dobro do ano passado – e que está trabalhando para aumentar a capacidade de fornecimento.

Mas uma recuperação mais ampla da demanda de chips precisará esperar até o próximo ano, de acordo com analistas, com a IA permanecendo como um raro ponto brilhante no setor global de tecnologia, graças ao investimento crescente após o lançamento bem-sucedido do chatbot ChatGPT no final do ano passado.

Para o trimestre de junho, a Samsung relatou uma queda de 95% no lucro operacional, para 669 bilhões de wons, em linha com a estimativa da empresa, mas o segundo menor lucro trimestral em 14 anos.

O negócio de telefonia móvel da Samsung teve alta de 16% no lucro operacional, para 3,04 trilhões de wons, e espera um crescimento nas vendas no segundo semestre, impulsionado por produtos premium.

Um dia antes, a Samsung, a maior vendedora de smartphones do mundo, apresentou seus mais recentes smartphones dobráveis, mantendo os preços mais ou menos no mesmo nível pelo terceiro ano, enquanto busca desafiar o domínio da Apple no segmento de aparelhos de preços elevados.