iPhone

Apple (AAPL34) lucra US$ 25,01 bilhões, acima do previsto; ações viram e caem

Receita somou US$ 97,28 bilhões, acima dos US$ 93,89 bilhões estimados; vendas de iPhone atingiram US$ 50,57 bilhões, também acima

Por  Equipe InfoMoney -

Apple (AAPL34) lucrou US$ 25,010 bilhões no segundo trimestre fiscal, encerrado em 26 de março de 2022, acima da cifra de mesmo intervalo de um ano antes, de US$ 23,630 bilhões.

O lucro trimestral por ação diluída foi US$ 1,52, acima do estimado pelo mercado, de US$ 1,43. Um ano antes, havia sido de US$ 1,40.

Após o balanço, as ações da empresa subiam 1,78% no pós-mercado em Nova York, porém viraram para o negativo por volta das 18h (de Brasília), com queda de 1%.

No pregão regular desta quinta-feira (28), as ações da Apple subiram 4,5% em NY, enquanto seus BDRs na bolsa brasileira subiram 3,69%, cotados a R$ 80,40.

Receitas do balanço da Apple (AAPL34)

A receita da empresa somou US$ 97,28 bilhões, acima dos US$ 93,89 bilhões estimados pelo mercado. Um ano antes, a receita havia sido de US$ 89,584 bilhões.

Apenas com iPhone, as vendas somaram US$ 50,57 bilhões, ante US$ 47,88 bilhões projetados – comparado com US$ 47,938 bilhões de um ano antes.

Enquanto isso, vendas de Mac somaram US$ 10,435 bilhões, ante US$ 9,102 bilhões na comparação anual, ao passo que de iPads atingiram US$ 7,646 bilhões – queda ante US$ 7,807 bilhões de um ano antes.

A receita de serviços totalizou US$ 19,821 bilhões no segundo trimestre fiscal, contra US$ 16,901 bilhões do mesmo intervalo encerrado em março de 2021.

“Os resultados recordes deste trimestre são uma prova do foco incansável da Apple na inovação e nossa capacidade de criar os melhores produtos e serviços do mundo”, disse Tim Cook, CEO da Apple.

Segundo Luca Maestri, CFO da Apple, a empresa teve recordes nos negócios para o trimestre encerrado em março, em serviços e receitas do iPhone, Mac e acessórios.

“A forte demanda contínua dos clientes por nossos produtos nos ajudou a alcançar um recorde histórico para nossa base instalada de dispositivos ativos”, completou Maestri.

Recompras e dividendos

Adicionalmente, o conselho de administração da Apple declarou um dividendo em dinheiro de US$ 0,23 por ação ordinária da empresa, um aumento de 5%.

O dividendo será pago em 12 de maio de 2022 aos acionistas registrados no fechamento dos negócios em 9 de maio de 2022.

O conselho de administração também autorizou um aumento de US$ 90 bilhões no programa de recompra de ações existente.

Análise do resultado

Segundo Natan Epstein, sócio da Catarina Capital, a Apple tem alta dependência de certos centros de produção, como a China, e de um consumo “físico”, que foi extremamente impacto pelo surto recente de Covid.

Além disso, a empresa está exposta aos ciclos de inflação, tanto em matéria prima quanto em mão de obra, acrescentou o analista.

“Todos esses problemas não impediram a empresa, entretanto, de apresentar o melhor resultado para o segundo trimestre da sua história, com recorde de vendas tanto na área de hardware (iPhones, Mac, etc.) quanto na parte de Serviços.”

Ainda não investe no exterior? Estrategista da XP dá aula gratuita sobre como virar sócio das maiores empresas do mundo, direto do seu celular – e sem falar inglês

Compartilhe