China x EUA

Procurador-geral dos EUA tem dúvidas sobre acordo Oracle-TikTok

No fim de semana passado, Oracle e Walmart concordaram em adquirir 20% de uma nova entidade com sede nos EUA chamada TikTok Global

Logo Tik Tok
(Getty Images)
Aprenda a investir na bolsa

(Bloomberg) — O procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, e outras autoridades de segurança nacional ainda não deram sinal verde para que Oracle e Walmart comprem uma participação no TikTok e, assim, evitem que o presidente Donald Trump bloqueie a rede social no país, segundo uma pessoa a par do assunto.

As autoridades têm dúvidas sobre as implicações da proposta para a segurança nacional à medida que vozes contrárias surgem dentro do governo, disse a pessoa, que pediu para não ser identificada. O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, lidera o lado que apoia o plano.

A chinesa ByteDance, controladora do TikTok, tem prazo até este fim de semana para obter aprovação para a venda de suas operações nos EUA ou enfrentará uma proibição de facto no país decorrente de uma ordem executiva emitida em 6 de agosto por Trump. O Departamento de Justiça não respondeu imediatamente a perguntas sobre a posição atual de Barr sobre o acordo do TikTok.

Aprenda a investir na bolsa

A ByteDance pediu a um juiz federal uma liminar preliminar para bloquear a ordem que obrigaria a exclusão do TikTok das lojas de aplicativos da Apple e do Google.

A porta-voz do Departamento de Justiça, Mollie Timmons, não quis comentar se o departamento pretende recorrer da liminar.

A questão foi informada anteriormente pela Fox Business.

No fim de semana passado, Oracle e Walmart concordaram em adquirir 20% de uma nova entidade com sede nos EUA chamada TikTok Global. Trump elogiou o acordo com o TikTok no sábado, destacando que era “um ótimo negócio para a América”.

Mas questões foram levantadas desde então, pois o esboço inicial do acordo mostra que a ByteDance continuaria a controlar os valiosos algoritmos de inteligência artificial para os vídeos curtos do TikTok e inicialmente manteria o controle da nova entidade com sede nos EUA. As porcentagens de participação acionária poderiam mudar após uma possível oferta pública inicial.

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.