Resultados

Prejuízo da MMX cai 59%, mas empresa perde R$ 300 milhões em patrimônio

Tirando a linha do lucro - negativada por ser prejuízo -, a companhia viu seus principais números mostrarem piora

Igarape, 05 de novembro de 2011Imagens aereas das minas de minerio de ferro Tico Tico e Ipe, da empresa MMX, no complexo Serra Azul.Foto: Bruno Magalhaes / Nitro

SÃO PAULO – A MMX Mineração (MMXM3) conseguiu diminuir em 59% seu prejuízo frente o terceiro trimestre de 2011, mostrando perdas de apenas R$ 100,1 milhões entre julho e setembro de 2012, comunicou a empresa nesta quarta-feira (7). Mesmo assim, a empresa perdeu 11% em patrimônio líquido, que recuou de R$ 2,8 bilhões para R$ 2,5 bilhões. 

Tirando a linha do lucro – negativada por ser prejuízo -, a companhia viu seus principais números mostrarem piora: a receita líquida recuou 10% e atingiu R$ 245,4 milhões, enquanto o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) caiu 12% para R$ 44 milhões. Assim, a margem Ebitda (Ebitda/Receita Líquida) ficou em 17,9%. 

Esses números mostram uma significativa melhora frente o segundo trimestre, quando o prejuízo havia sido de R$ 391,6 milhões e a receita líquida tinha atingido os R$ 203,6 milhões. A dívida líquida da companhia, porém, cresceu 322% de um ano para o outro e 25% entre trimestres. 

“Espera-se que a produção de aço se mantenha estável ao longo de 2012 e retome o crescimento a partir de 2013, embora a taxas menores do que as experimentadas no passado”, avalia a companhia. A expectativa da mineradora de Eike Batista é que será cada vez mais necessário integrar os projetos – o que garante a MMX uma importante vantagem competitiva.