Em negocios / noticias-corporativas

Crescimento do mercado de games leva empresa a investir no setor

No último ano, os jogos eletrônicos movimentaram mais de 5 milhões de reais no Brasil; número expressivo chama atenção de empresários.

Mais do que um instrumento de diversão, os games são um negócio. Um grande negócio, aliás, que movimenta bilhões de dólares mundo a fora, superando o mercado da música e do cinema. No Brasil, o setor de jogos eletrônicos arrecadou cerca de R$5,6 bilhões no ano passado e tornou-se o maior da América-Latina, segundo dados da agência Newzoo. Esses números expressivos têm levado empresas a investir no ramo, como é o caso da Gorila Shield, especialista em venda de acessórios para celulares, tablets e relógios inteligentes.

Há mais de dois anos, os diretores da start up brasileira começaram a notar o crescimento do setor no Brasil e, mesmo não sendo o foco da empresa, decidiram introduzir na loja online produtos direcionados ao público gamer. Ano passado, porém, após analisar a demanda dos clientes e as oportunidades do mercado, a Gorila criou a linha Gorila Gamer.

Segundo Frederico Oliveira, diretor da empresa, a decisão de desenvolver produtos direcionados exclusivamente aos jogadores veio depois de compreender as necessidades do público. “Notamos que muitos dos nossos clientes também jogam e estão dispostos a pagar por produtos de qualidade. Então, nós queremos aproveitar essa confiança que eles já têm na nossa loja para oferecer o que eles precisam”, afirma.

De fato, o que não falta ao setor dos games é consumidor. De acordo com o Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais (IBJD), o número de players pulou de 66 milhões, em 2017, para 75 milhões em 2018. Pode-se dizer que parte desse aumento se deve aos smartphones, uma vez que estes são os principais dispositivos utilizados para jogar.

Ano passado a Samsung divulgou os resultados de uma pesquisa, com base na resposta de 800 pessoas. Segundo o estudo, 91% dos entrevistados utilizam aparelhos celulares para jogar, enquanto os notebooks ou computadores são usados por 59,9%. Isso quer dizer que mais da metade dos jogadores ouvidos optam por até dois dispositivos. Diante desse cenário, a Gorila Shield resolveu, a princípio, focar no público que prefere jogar no PC.

A linha Gorila Gamer, que terá um site de venda próprio, ofertará mouses, teclados, cadeiras, fones de ouvido e até computadores desenvolvidos especialmente para os gamers. “Eles (gamers) são profissionais. A galera compete em campeonatos nacionais e internacionais, então é preciso ter um equipamento apropriado, que proporcione o melhor desempenho durante as partidas”, explica Oliveira.

Profissão do futuro

Hoje, existem inúmeros campeonatos de game no Brasil e no mundo que movimentam milhões de dólares por ano. Os jogadores, claro, arrecadam parte dos lucros ao vencerem as competições. Diante desse cenário, cada vez mais os apaixonados por jogos eletrônicos estão buscando a profissionalização. Até mesmo os clubes de futebol estão investindo em equipes brasileiras. Times como Corinthians, Santos, Flamengo, ABC, Goiás e Athletico-PR já participam dos campeonatos de FIFA, PES e League of Legends.

Website: http://www.gorilagamer.com.br

 

Tudo sobre: 

Contato