Em negocios / noticias-corporativas

Startup Brasileira é premiada por robô de inteligência que reduz 80% de custos

A Startup Rampfy.com criou um robô de inteligência artificial que conecta aos sistemas de gestão e acompanha os principais indicadores (KPI's) e processos das empresas. Através de uma tecnologia chamada push intelligence, essa solução traz diretamente para o celular dos gestores, como se fosse uma mensagem de WhatsApp, informações antecipadas que além de alavancar resultados ainda evitam erros ou problemas na operação.

Entre as 6800 startups avaliadas pela plataforma global 100 Open Startups, a Rampfy.com foi classificada entre as melhores startups do Brasil, ficando em 2º lugar no ranking Productivity for Enterprise Application e em 18º lugar no ranking geral.

A startup de Blumenau, Santa Catarina, com apenas 3 anos de existência, desenvolveu um robô que conecta nos sistemas de gestão das empresas para analisar informações e métricas. 

Quando o robô percebe um problema em um processo ou uma tendência de um índice (KPI) não atingir um objetivo ele entrega, de forma proativa, essa informação no celular do time de gestão com o objetivo de alavancar objetivos e evitar perdas.

Esse conceito é chamado de push intelligence e permite uma gestão preditiva reduzindo os ciclos de acompanhamentos de indicadores dos gestores.

Esse conceito tem mudado a forma e os ciclos de acompanhamento de indicadores nas empresas: 

"Geralmente as áreas praticam suas reuniões de análise de resultado com seus times em períodos de 15 ou 30 dias. Um dos grandes problemas desse processo é que, além de muitas vezes os indicadores e suas análises não apoiarem uma melhor tomada de decisão, quase sempre atrasa as reações que poderiam ajudar a melhorar as perfomance. Acredito que é nesse ponto que os sistemas de notificações “push intelligence” nos permite melhorar, reduzindo nossos tempos de reações aos desvios que encontramos no dia a dia das atividades." João Maia - Andrade Gutierrez

A Startup cresce rapidamente em um momento em que as organizações têm investido valores consideráveis no sentido de obter insights para alcançar os melhores resultados. A IDC projeta que as receitas para big data e análise de negócios crescerão de US $ 150,8 bilhões em 2017 para mais de US $ 210 bilhões em 2020

Nos Estados Unidos os investimentos tem sido cada vez maiores em soluções como a Rampfy, que trabalha de forma proativa a entrega de informações. Um exemplo disto é o concorrente americano da startup brasileira, a Sisense que já recebeu investimentos de mais de US $ 170 milhões e recentemente comprou a gigante Periscope. 

Cultura em transição

No Brasil, a cultura que ainda impera é da decisão baseada em instintos ou seja, Feeling Driven, como também se costuma falar. Estamos engatinhando ainda para o novo conceito chamado Data Driven, onde as decisões baseadas em dados e já começa a aparecer uma nova forma de tomar decisões usando predição, chamado de Predict Driven.

"As organizações ainda desperdiçam muito de seu valioso tempo em busca de informações, montando planilhas Excel com resultados que circulam por e-mail dentro da empresa. Utilizando a plataforma da Rampfy as empresas conseguem reduzir até 80% dos custos de acompanhamento de KPI's e começam a tomar decisões na hora certa." César Dias - CEO da Rampfy

Uma pesquisa realizada pela McKinsey concluiu que “gestores gastam 19,8% do seu tempo, ou seja, em média 8,7 horas por semana, pesquisando e coletando informações.

Em outras palavras:

Seguindo esse raciocínio, as empresas contratam 5 funcionários, mas apenas 4 estão efetivamente trabalhando, pois o quinto está somente "em busca de respostas e informações".

Com a inteligência artificial dos robôs, a informação não precisa ser buscada e analisada, reduzindo o esforço e perda de tempo, que é uma coisa cada vez mais preciosa.

Website: https://www.rampfy.com

 

Tudo sobre: 

Contato