Em negocios / noticias-corporativas

AVC mata uma pessoa a cada cinco minutos no Brasil

Só em 2017, a doença vitimou mais de 100 mil pessoas, de acordo com informações preliminares do Ministério da Saúde. O diagnóstico precoce, por meio de exames de imagem, aumenta as chances de recuperação completa. Socorro rápido e agilidade no diagnóstico é determinante para o sucesso do tratamento.

Uma das principais causas de mortalidade entre os brasileiros, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) mata, em média, uma pessoa a cada cinco minutos. Só em 2017, a doença vitimou mais de 100 mil pessoas, de acordo com informações preliminares do Ministério da Saúde. O diagnóstico precoce, por meio de exames de imagem, aumenta as chances de recuperação completa.

Acidente vascular cerebral é uma doença que afeta o fornecimento de oxigênio para o cérebro e pode ocorrer em casos de coágulos ou hemorragia. Nesses casos, a falta de oxigênio causa a morte de células cerebrais. Segundo um estudo da Universidade de Melbourne, na Austrália, para cada 15 minutos de atraso no atendimento, o paciente perde, em média, um mês de vida saudável.

A rapidez no diagnóstico é determinante para o sucesso do tratamento, como alerta a médica radiologista Claudia Cristina Camisao. “O AVC é uma emergência médica em que cada minuto conta para garantir a sobrevivência e uma vida com menos sequelas aos pacientes. Equipar as unidades de saúde com equipamentos adequados é de extrema importância, como é o caso das tomografias computadorizadas, que atualmente é a ferramenta diagnóstica mais largamente empregada nos casos suspeitos de AVC”, explica Claudia.

No Hospital Municipal Albert Schweitzer, no Rio de Janeiro, somente em 2018 foram confirmados 370 casos de AVC. Nos dois primeiros meses desse ano, foram 104 diagnósticos. Diretora da DIMPI, responsável pelos exames no hospital, Claudia afirma que, segundo o Ministério da Saúde, em 2017, último ano com dados disponíveis, o Rio de Janeiro registrou mais de 9,5 mil óbitos.

O combate ao alto índice de mortalidade por AVC é uma das preocupações do Governo Federal que, em agosto do ano passado, assinou a Carta de Gramado, um documento conjunto entre 12 países da América Latina. Atualmente, o Brasil é referência no tratamento da doença, e dispõe de uma Linha de Cuidados em AVC estabelecida como política pública de saúde. 4

Entre as medidas de prevenção, estão o desenvolvimento e implantação de uma política de conscientização da população quanto aos sintomas e estímulo a uma vida mais saudável, com a realização de atividade física e alimentação saudável.

Reconheça um AVC

A médica Claudia Cristina Camisao reforça a importância de reconhecer os sintomas e permitir que o atendimento seja realizado dentro da janela de até quatro horas e meia. Alguns sinais que o corpo dá ajudam a reconhecer o AVC. A sigla conhecida como SAMU (mesmo sigla do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) é um método útil para ajudar a identificar.

“São uma série de palavras fáceis de gravar. Sorriso; abraço; mensagem; urgência. Peça para a pessoa sorrir. Se o sorriso ou boca estiverem tortos, fique alerta. Peça um abraço. Dificuldade em levantar os braços ou a queda brusca de um deles devem despertar atenção. Outra dica simples é pedir para a pessoa repetir uma mensagem. Dificuldade de compreensão ou de repetição podem indicar um AVC. E havendo qualquer um desses sinais, chame imediatamente o SAMU”, orienta.

Sobre a DIMPI

A DIMPI Gestão em Saúde é uma empresa constituída para prestação de serviços na área de saúde, com foco em diagnóstico por imagem e nefrologia. Com dez anos de experiência, ainda, na educação continuada, melhoria de processos, locação de equipamentos, obras de adequação ecologicamente sustentável, fornecimento de insumos e mão de obra. A empresa é responsável pela realização de mais de 30 mil exames de imagens mensais em hospitais e UPAs, do Rio de Janeiro e Paraíba.

Sobre a fundadora da empresa e diretora-geral, Claudia Cristina Camisao

Graduada em Medicina pela UniRio, fez mestrado na Universidade de Campinas e pós-graduação no Centro de Imagem de Nova Iorque. Por meio da DiIMPI, Claudia Cristina Camisao trouxe para a Paraíba sua experiência em adquirida ao longo de 25 anos norteada na atenção e cuidado com o paciente, segurança na execução de exames e principalmente na busca de diagnósticos precisos e rápidos.

Website: http://www.dimpisaude.com.br/

 

Tudo sobre: 

Contato