Em negocios / noticias-corporativas

Restituição do Imposto de Renda 2019 já movimenta o mercado bancário

Pagamento da restituição do Imposto de Renda de 2019 só começa em junho, mas bancos já oferecem empréstimos para antecipação do valor

A declaração do Imposto de Renda 2019 começou na última quinta-feira, 07 de março. Além da movimentação dos contribuintes para comprovarem rendimentos, gastos e despesas que podem ser deduzidas, começou também um outro movimento muito importante para o mercado financeiro: a concessão de empréstimos bancários para antecipar a restituição do IR.

Os 5 maiores bancos do Brasil estão oferecendo aos seus clientes empréstimos com taxa de juros que variam entre 1,79% e 3,69% ao mês, para que esses usuários consigam antecipar o dinheiro da restituição do Imposto de Renda.

A vantagem desse serviço para as instituições bancárias é a possibilidade de oferecer um serviço de crédito com um risco menor. Isso acontece porque os contribuintes devem receber o dinheiro da Receita, tendo uma fonte certa para o pagamento do empréstimo.

Para os contribuintes, é necessário analisar as condições do empréstimo e a situação da declaração do Imposto de Renda de cada um. Porém, pode ser uma boa oportunidade para conseguir capital para quitar dívidas mais caras, como as do cartão de crédito e do cheque especial.

Um bom ponto de partida é comparar com as taxas cobradas por outros tipos de empréstimos bancários. Segundo dados levantados diretamente da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças), as taxas de empréstimos podem variar entre 3,78% e 6,77% dependendo da instituição.

Além disso, é preciso que o contribuinte tenha cuidado na hora de estabelecer o prazo de pagamento do empréstimo. Como a data para liberação da restituição ainda não foi estabelecida para cada pessoa, é preciso considerar que o pagamento pode sair apenas no último lote ou que aconteça algum problema e seja preciso refazer a declaração, adiando ainda mais a restituição.

A restituição do Imposto de Renda é a forma de realizar o acerto de contas entre contribuinte e Receita Federal, quando o assunto é pagamento do imposto sobre a renda do ano anterior.

Esse acerto deve ser realizado em duas situações:

1. Quando a diferença for para menos: neste caso o contribuinte paga a diferença, ou seja, o valor restante do imposto que deveria ser pago.

2. Quando a diferença for para mais: neste caso o contribuinte recebe a diferença, ou seja, o valor que foi pago a mais durante o ano é devolvido.

Quando o contribuinte precisa pagar mais tributos, a Receita permite que ele imprima o boleto ou mesmo que consiga parcelar o valor devido ao longo de alguns meses.

Por outro lado, quando é a Receita que deve restituir o contribuinte, o pagamento é realizado de acordo com o calendário de lotes estabelecidos pelo próprio governo. O calendário para pagamento da restituição do Imposto de Renda 2019 ficou da seguinte maneira:

1º lote — data de liberação é 17/06/2019
2º lote — data de liberação é 15/07/2019
3º lote — data de liberação é 15/08/2019
4º lote — data de liberação é 16/09/2019
5º lote — data de liberação é 15/10/2019
6º lote — data de liberação é 18/11/2019
7º lote — data de liberação é 16/12/2019

A ordem para o pagamento da restituição segue a mesma do envio da declaração do Imposto de Renda. Dessa forma, os contribuintes que enviam primeiro, são enquadrados nos primeiros lotes da restituição.

Por último, é preciso destacar que a restituição depende diretamente das informações colocadas na hora de declarar as despesas e rendimentos. Dessa forma, quanto mais certeira for a declaração de um contribuinte, menor serão as chances de erros e a probabilidade de ter problemas com a Receita Federal.

Assim, esses contribuintes devem receber a restituição no prazo determinado e com o valor correto devido.

Website: https://artigos.toroinvestimentos.com.br/irpf/imposto-de-renda-2019-declaracao

 

Tudo sobre: 

Contato