Em negocios / noticias-corporativas

O setor de logística e expectativas positivas para 2019

Confederação Nacional das Revendas Ambev e das Empresas da Logística de Distribuição (CONFENAR)

O Brasil está em fase de mudança. Vivemos um período de ajustes econômicos, e a expectativa que a economia nacional melhore é cada vez maior. A positividade ronda o mercado e os executivos acreditam que, com uma possível recuperação nacional, poderemos finalmente dispersar o clima de instabilidade e incerteza e caminharmos rumo ao futuro. Afinal, já se tem observado a retomada de alguns setores da economia e uma predisposição maior das pessoas em consumir, formando um cenário vantajoso - e como há tempos não se via - para as revendas.

De acordo com um levantamento realizado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), 81% dos empresários estão confiantes que os problemas nacionais de infraestrutura serão resolvidos ao longo dos próximos anos. Além da positividade, o estudo mostra que o otimismo está retornando e dominando outros mercados também com sinais de recuperação de suas atividades.

Pesquisas da ANTT e NTC também colaboram com esta expectativa e mostram que 44,5% dos empresários do Setor de Transporte acreditam na melhora da economia, número que em janeiro de 2016 era de apenas 5,4%. Por isso, a expectativa por um refortalecimento do cenário macroeconômico é geral. Mais de 76% dos entrevistados pela pesquisa da CNT espera um PIB (Produto Interno Bruto) maior do que o de 2018. Por conta disso, 54% dos empreendedores do setor pretendem ampliar o tamanho de suas frotas e retomar o investimento para seus negócios.

A Confenar está preparada para este ambiente e conta com uma estratégia alinhada ao portfólio de bebidas da Ambev, na compreensão e gerenciamento de um novo cenário ampliando novos horizontes para incrementar as parcerias. Com o verão, as revendas registraram aumento na venda das bebidas e, para as próximas estações, a expectativa é que a tendência de alta permaneça. Estamos em pleno voo.

Com foco total nos pilares que formam nossa base neste momento - Capacitação, União e Negócios -, conseguimos vislumbrar um futuro mais positivo, direcionando nossos esforços em dois importantes alicerces: a valorização do revendedor e a rentabilidade das revendas, com adoção de melhores práticas e gestão eficiente de custos e despesas. Além disso, investimentos em capacitação quer dizer avanços também na operação, uma vez que essa prática nos ajudará a ter colaboradores cada vez mais profissionais, focados e atentos às oportunidades de melhorarem.

Outro fator esperado para o setor é que a tecnologia se instale definitivamente no mercado para agilizar processos e oferecer uma boa logística ao cliente. O avanço do ominichanel e tendências como Big Data, Inteligência Artificial e robotização em condomínios logísticos contribuem com a competitividade das empresas e avanços para todo o setor.

A inovação, portanto, é ponto central para o futuro, começando já. A visão inovadora para identificar soluções e diminuir retrabalhos, ajudará o mercado a corrigir pontos críticos, além de identificar formas para a redução de custo. Vale destacar, ainda, a importância das ações de responsabilidade ambiental, que mostram como o setor se adapta e se prepara para atender as demandas mais estratégicas.

Nesse sentido, podemos destacar, por exemplo, o desenvolvimento de novos formatos de embalagem, armazenamento e entrega de mercadorias, incluindo processos mais assertivos e com melhor eficácia e rapidez para atender a Rede de Revendas que fornece bebidas para diversos eventos que acontecem no Brasil antes, durante e depois do Carnaval. Falando em folia, devido à popularização dos blocos de rua, estamos diante de novas oportunidades.

As revendas precisam estar atentas a esse contexto, ampliando o portfólio de bebidas e outros produtos. Ainda há muito espaço para a colaboração entre esses players (embarcadores, transportadores, recebedores, clientes). O principal desafio neste cenário será unir expertises diferentes e complementares para buscar soluções completas, eficazes e eficientes. Além de tudo, adequadas para cada uma das diversas cadeias de abastecimento.

Enfim, sabemos que tecnologia, inovação e bom atendimento são pontos que já existem, mas que devem crescer absurdamente no mercado ao longo dos próximos anos, especialmente no ambiente brasileiro. O segredo do negócio é oferecer experiências de consumo cada vez mais personalizadas e que contribuam para a tomada de decisão do cliente. Essa é a grande "bola de ouro" para quem trabalha com logística.
Estamos passando por um primeiro trimestre de adequações e é difícil prever o que de fato vai acontecer no mercado, mas, esperamos que o cenário continue próspero e traga bons resultados.

* Por Carlos Eduardo Lang, presidente da Confenar, Confederação Nacional das Revendas Ambev e das Empresas da Logística de Distribuição

 

Tudo sobre: 

Contato