Em negocios

Por que a paixão do empreendedor pelo seu negócio é crucial para ter sucesso?

Pesquisadores de Harvard indicaram que empreendedores flexíveis, confiantes, atentos aos feedbacks são muito mais resilientes e capazes de manter a paixão viva mesmo em tempos ruins

Empreendedor

SÃO PAULO - Em um momento de instabilidade econômica como o que o Brasil está passando, ser um empreendedor parece cada vez mais difícil. No entanto, ainda assim muitas pessoas seguem na carreira durante esse período de incertezas.

De acordo com um artigo da revista Harvard Business Review, pesquisadores indicaram que empreendedores flexíveis, confiantes, atentos aos feedbacks são muito mais resilientes e capazes de manter a paixão viva mesmo em tempos ruins.

Segundo o estudo, essa paixão do empreendedor é necessária para ultrapassar as dificuldades do mercado em momentos de instabilidade. “Empreendedores apaixonados são aqueles que consideram ser um empreendedor uma parte de quem são”, diz o artigo. Além disso, o estudo afirma que a paixão empresarial realmente aumenta a criatividade e persistência dos empresários.

Celso Fortes é empreendedor digital e pode ser considerado um desses apaixonados que Harvard estudou. Ele explica que enxerga o empreendedorismo como uma espécie de estilo de vida. “Se há algo que me faz sentir completo é poder saber que estou conseguindo resolver problemas do cotidiano. As dificuldades são as verdadeiras oportunidades de inovação e de fazer novos negócios”, explica.

O estudo, no entanto, revela que a paixão dos empreendedores tende a desaparecer com o tempo. “A fase inicial do negócio é onde se tem mais entusiasmo por parte do empreendedor e depois esse sentimento vai se perdendo”, diz o artigo.

Assim, para impulsionar outros empreendedores a fazerem da paixão um artifício do negócio, Fortes elencou 5 dicas para seguir em frente mesmo com as adversidades de um momento econômico instável: 

Ponha em prática

"A diferença de uma grande ideia para algo real e físico é a concretização material", afirma o empreendedor. Segundo, ele criar algo e fazê-lo tomar forma "chega a ser uma prática íntima".

"Para quem empreende, nada é melhor do que ver seu projeto crescer e passar a ser usado por pessoas que nem sequer te conhecem. Esta motivação é poderosa e faz aumentar a confiança em si", afirma Fortes.

Contrate bem

Escolha profissionais com o perfil empreendedor. "Contratar pessoas que olham apenas para o próprio umbigo é prática nociva e sepultará ótimas ideias", afirma Fortes.

É importante ter profissionais dispostos e capazes de manter a produtividade em alta mesmo que você não estiver por perto para impulsioná-los.

Ficar “empurrando” as pessoas o tempo todo também tira o prazer de ver o andamento dos negócios. Delegar as funções mais básicas e focar apenas naquilo que é primordial te manterá mais animado e inspirado a crescer.

Dedique-se

De nada adianta projetar uma ideia e deixá-la a mercê do tempo ou a disponibilidade dos outros. "Como criador você é a melhor representação dos seus negócios", disse .

Uma forma de estar atualizado e preparado para as adversidades do negócio é se manter bem antenado, e dedicação é crucial. 

Networking

"O empreendedor é o principal PDV [Ponto de venda] da marca. Todo e qualquer contato é uma maneira de “vender” os serviços", explica Fortes. A dica é pensar como suas atividades são importantes e podem ser úteis para as pessoas.

"Além disso, essa é uma boa forma de obter feedbacks espontâneos e analisar se o seu convívio social é realmente importante para o estilo de vida empreendedor", diz Fortes. Segundo ele, para prosperar no mundo do empreendedorismo é preciso aprender a selecionar e escolher com quem você vai passar o seu tempo.

Desapegue

Não adianta ficar em cima do projeto a todo instante. "Assim como qualquer relação humana, esse “apego” vai te desgastar emocionalmente e mais: isso configura falta de convicção", afirma o empreendedor.

Planeje o trabalho com profissionais sérios e saiba confiar nas próprias escolhas. "Caso o formato inicial comece a mudar ou existirem melhores opções, não existe vergonha alguma em acatar as alterações ou o feedbacks dos colaboradores que estão com a “mão na massa”", orienta Fortes.

Se ainda assim o projeto não for para frente, não perca muito tempo sofrendo a perda do seu “amor”. Aprenda o que for necessário e siga em frente. Outros “amores” surgirão. 

 

Contato