Em negocios

Brasil é o terceiro país com maior número de empreendedores

Segundo pesquisa da GEM, Brasil tem 27 milhões de pessoas envolvidas em um negócio próprio ou na criação de um

microempresa - pai e filho - empreendedorismo
(Getty Images)

SÃO PAULO – Em um ranking de 54 países, o Brasil é o terceiro com maior número de empreendedores no mundo, atrás apenas da China e dos Estados Unidos. O País possui 27 milhões de pessoas envolvidas em um negócio próprio ou na criação de um. É o que revela uma pesquisa realizada com empresáros entre 18 e 64 anos, pela GEM 2011 (Global Entrepreneurship Monitor), em parceria entre o Sebrae e o IBQP (Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade).

Os empreendedores representam 27% da população adulta brasileira e, entre eles, 85% estão no mercado há mais de três meses. Desses, 12 milhões, o equivalente a 45%, estão estabelecidos em seus segmentos de atuação, ou seja, atuam no mercado há mais de 42 meses. Outros 11 milhões, 40% do total, são classificados como novos empreendimentos por funcionarem há mais de três meses e menos de 42 meses.

“O Brasil mudou muito, nos últimos anos: cresceram a renda e o nível de emprego. Por isso, hoje temos empreendedores mais qualificados, que buscam no próprio negócio a oportunidade para se desenvolver”, diz o diretor-técnico do Sebrae, Carlos Alberto dos Santos.

A pesquisa também mostra que 15% dos empreendedores, ou 4 milhões de pessoas, estão envolvidos na criação do próprio negócio. A maioria dos empresários afirma que optou pela área porque constatou uma oportunidade de mercado e não por necessidade. A estimativa é que para cada negócio aberto por necessidade, por motivo de desemprego, por exemplo, 2,24 começam pela identificação de uma oportunidade de negócio.

O número é o maior desde 1999, mas ainda é inferior à média dos 54 países, que é de 4,35 negócios por oportunidade para cada um aberto por necessidade.

A China aparece em primeiro lugar no ranking, com quase 370 milhões de empreendedores, e os Estados Unidos, que ocupa a segunda posição, possui cerca de 40 milhões.

Empreendedoras
Entre os empreendedores iniciais, a proporção de mulheres é maior que a média mundial. De cada 100 empreendedores iniciais, 49 têm comando feminino. A média dos 54 países pesquisados nesse grupo é de 37 empreendedoras para cada 100.

Elas preferem negócios como estética e tratamento de beleza, comércio de vestuário, fornecimento de comida preparada e confecções. Já os homens gostam mais de atividades relacionadas a manutenção e reparação de veículos automotores, minimercados, lanchonetes e similares, e transporte de passageiros.

Faixa-etária
Dos 27 milhões de empresários brasileiros, mais da metade têm de 25 a 44 anos. Outros 3,4 milhões têm até 24 anos. Seis milhões estão na faixa de 45 a 54 anos, e 3,3 milhões têm mais de 55 anos.

A renda mensal obtida por metade dos empreendedores chega a, no máximo, três salários mínimos. Um terço deles fatura entre três e seis salários mínimos e menos de 15% tira mais de seis salários mínimos por mês com o próprio negócio.

Geradores de emprego
Os pequenos negócios são responsáveis pela maior parte dos postos de trabalho no Brasil. Dados referentes a 2010 da Pesquisa de Emprego e Dieese (Desemprego do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) mostram que os pequenos negócios geram dois em cada três postos de trabalho no setor privado.

O estudo indica também que a maior parte dos pequenos negócios prevê ampliação de seus quadros de profissionais. Entre os negócios, com menos de 42 meses de existência, quase a metade pretende contratar entre um e cinco funcionários nos próximos cinco anos. Apenas um terço não planeja abrir vagas e o restante deve empregar mais de cinco pessoas nesse período.

 

Contato