Embargo às carnes

Marfrig: embargos da China, África do Sul e Japão não afetarão receita

<span>Empresa diz que as exportações a esses países representaram 0,16% da receita consolidada da companhia <span>nos 9 primeiros meses de 2012</span></span>

SÃO PAULO – Em resposta à reação do mercado ao embargo às carnes brasileiras, a Marfrig Alimentos (MRFG3) esclarece que nos primeiros nove primeiros meses de 2012 as exportações brasileiras de produtos de carne bovina do grupo para os referidos países – China, África do Sul e Japão – corresponderam a 0,16% da receita consolidada da companhia.

Além disso, as exportações de produtos de carne bovina para esses países continuarão a ser atendidas através de unidades localizadas na Argentina e Uruguai, não impactando dessa forma os volumes comercializados.

Em comunicado, a empresa esclarece que a estratégia da Marfrig como empresa Global de alimentos sempre esteve pautada na diversificação geográfica e de proteínas, com uma participação de 46% de sua receita consolidada em produtos de valor adicionado e industrializados, como uma plataforma que permite transpor eventuais barreiras comerciais e sanitárias através do redirecionamento da produção para outras regiões ou países sem afetar as operações.

Minerva também não será muito afetada
Na véspera, o frigorífico Minerva, líder na América do Sul na produção e comércio de carnes e derivados, disse que suas vendas internacionais pouco serão afetadas caso a China de fato anuncie embargo às carnes brasileiras.

Segundo comunicado divulgado pela companhia após o fechamento do pregão, o mercado do país asiático representou menos de 0,5% do faturamento líquido da companhia nos últimos doze meses – tendo como base o balanço do terceiro trimestre -, além de ressaltar que eles não exportam carne in natura para a África do Sul.